Pesquise neste blog

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

EDUCAÇÃO / SOBRADINHO


Estudantes de Sobradinho sobem ao pódio em Olimpíada de Robótica

(*)João Gabriel Amador 


Com robô capaz de fazer resgates, alunos do DF ficaram em 3º lugar na competição nacional

O que começou com a curiosidade de desmontar eletrodomésticos se transformou em prêmios e reconhecimento. Assim pode-se resumir a história de João Vitor Pinheiro da Cruz, de 18 anos. O jovem é um dos integrantes do grupo que representou Brasília na Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) e trouxe para casa o troféu de 3º colocado.

A competição nacional ocorreu nos dias 8, 9 e 10 deste mês e reuniu 69 equipes de todo país, classificadas após etapas regionais, das quais participaram mais de 3 mil grupos. Os testes envolviam o desenvolvimento de um robô autônomo capaz de percorrer trajetos com obstáculos e resgatar vítimas de uma suposta catástrofe. Claro que em escala reduzida, onde bolinhas de pingue-pongue fazem o papel de vítimas.

Para João Vitor, o pódio foi a realização de um sonho persistente há quatro anos. “Começamos o projeto na escola em 2013 e já havíamos batido na trave algumas vezes. Mas dessa vez apostamos em um robô mais simples e eficiente, que gerou o resultado positivo”. A conquista foi emocionante para o jovem, uma vez que a equipe conseguiu saltar da 12ª colocação no primeiro dia de competição para o 3º lugar na última prova.

Por trás do sucesso, uma pessoa foi fundamental: o professor de biologia Alexandre Zeitune. O docente implementou a aula de robótica no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 08 de Sobradinho, de onde saiu a equipe vencedora. “Em 2013, alguns estudantes me procuraram, dizendo que queriam participar da Olimpíada. Abracei a ideia. Adquirimos os equipamentos e tive que aprender, junto com eles, a programar e desenvolver os robôs”, contou o educador sobre o início do projeto.

Mundo de possibilidades

As vitórias trouxeram reconhecimento e oportunidades para os estudantes. Antes mesmo de terminar o ensino médio, João Vitor já recebe propostas de estudo e trabalho. “Algumas faculdades me chamaram para que eu possa continuar competindo e escolas me convidaram para dar aulas de robótica para crianças”, conta o jovem.

Mas ele ressalta que, por enquanto, seu trabalho é de ajudar e incentivar novos talentos. “Sou voluntário na escola como monitor no turno contrário de minhas aulas. Acho que as vitórias que tivemos são importantes para inspirar outros estudantes e colégios”.

Um dos influenciados é o pequeno Pedro Roberto de Carvalho. Com apenas 11 anos, ele já participou da competição nacional e acredita que as aulas ajudam no ensino. “Gosto muito de desafios e os conhecimentos de lógica que aprendemos são usados também nas outras disciplinas”.

Atualmente a rede pública do DF conta com diversos projetos semelhantes ao do CEF 08 de Sobradinho. E a prova do sucesso está nos resultados das últimas competições. Na etapa regional da OBR, os colégios da rede foram medalha de ouro nas duas principais competições do evento, uma voltada para o ensino fundamental e outra para ensino médio. Na categoria para alunos até o nono ano, a medalha de prata também ficou para uma unidade pública.




(*) Fonte: João Gabriel Amador  Últimas Notícias -Foto: Luis Tavares, Ascom/SEEDF

EDUCAÇÃO no DF


Inscrições para os CILs começam nesta segunda (20)
Alunos da rede pública têm até 15 de dezembro para se candidatar. Vagas remanescentes nos centros interescolares de línguas serão oferecidas à comunidade em fevereiro

(*) GABRIELA MOLL

Estudantes da rede pública de ensino interessados em estudar inglês, francês, espanhol ou japonês nos centros interescolares de línguas (CILs) do DF têm de segunda-feira (20) até 15 de dezembro para se candidatar a uma das vagas.
Estudantes da rede pública de ensino interessados em estudar inglês, francês, espanhol ou japonês nos centros interescolares de línguas (CILs) do DF têm de segunda-feira (20) até 15 de dezembro para se candidatar a uma das vagas.
 Para concorrer, o aluno precisa acessar o site da Secretaria de Educação e escolher a unidade de ensino e o idioma que deseja aprender. É possível optar por mais de uma escola e de um idioma. O preenchimento do cadastro do aluno é automático, baseado do sistema da secretaria.
De acordo com a pasta, o quantitativo de vagas depende da demanda de interessados. Após o período de matrícula dos estudantes, em fevereiro, as vagas remanescentes serão oferecidas à comunidade em geral.
A previsão é que o resultado seja divulgado em janeiro, e as aulas do 1º semestre se iniciarão em 15 de fevereiro. Há cerca de 40 mil alunos atendidos nos 16 CILs do DF.
Centros interescolares de línguas
Os CILs são centros especializados na aprendizagem de língua estrangeira, vinculados à rede pública de ensino do DF, por meio da Secretaria de Educação.
São oferecidos cursos de inglês, espanhol, francês e japonês – este é ofertado nas unidades de Taguatinga, Gama, Sobradinho, Ceilândia e Recanto das Emas.
Inscrições nos CILs para alunos da rede pública de ensino
De 20 de novembro a 15 de dezembro
Divulgação do resultado em janeiro
Início das aulas: 15 de fevereiro

Endereços e telefones dos CILs no Distrito Federal
Asa Norte
SHCGN 711, Área Especial s/n
(61) 3901-4359

Asa Sul
SGAS 907/908, Módulo 25/26
(61) 3901-7613 e 3901-7619

Brazlândia
Quadra 2, Área Especial 7
(61) 3901-3671 e 3901-6630

Ceilândia
QNM 13, Área Especial (Ceilândia Sul)
(61) 3373-2923 e 3901-3746

Gama
Setor Central, Praça 2, Entrequadras 16/18 AE
(61) 3901-8111 e 3901-8053

Guará
QE 7, Lote AE
(61) 3901-3697, 3381-6123 e 3901-4436

Núcleo Bandeirante
Setor Tradicional, CEMNB, 3ª Avenida, AE 4, Praça Oficial 4/2
(61) 3386-4079

Paranoá
DF-250, km 3, Região dos Lagos, Sítio Rosas
(61) 3901-7548

Planaltina
Setor Residencial Leste, Quadras 3 e 4, Lote H
(61) 3901-4628

Recanto das Emas
Avenida Monjolo, Quadra 306, Área Especial
(61) 3332-5260

Riacho Fundo II
QN 14, Conjunto D, Lote A
(61) 3901-8043

Samambaia
QN 407, Bloco G, Samambaia Norte
(61) 3083-5005

Santa Maria
CL 114, Conjunto D, 4º Andar, Santa Maria Shopping
(61) 3901-6597

São Sebastião
Setor Tradicional, Rua 1, Número 101, CEF Cerâmica São Paulo

Sobradinho
Quadra 11, Área Reservada 1
(61) 3901-4099 e 3901-4096

Taguatinga
QSB 2, Área Especial 3/4
(61) 3901-6771 e 3351-1283

(*) fonte: GABRIELA MOLL, EDIÇÃO: PAULA OLIVEIRA - Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília-22.8.2016

BOLETIM DE OCORRÊNCIAS NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO

PMDF PRENDE RECEPTADORES DE PRODUTOS FURTADOS

(*) Cícero Feitosa

Policiais militares do Grupo Tático Operacional 33 (Gtop 33) prenderam, na tarde de ontem (16), por volta de 15h30, receptadores de produtos furtados em Sobradinho.
Os militares foram procurados por um dono de uma barbearia e o homem informou que seu estabelecimento comercial havia sido furtado durante a madrugada. Ele disse que sabia onde estavam os produtos subtraídos.

Os policiais foram na casa indicada, no conjunto B da quadra 10 de Sobradinho 1, e encontraram dois homens com vários objetos. A dupla não soube explicar a procedência dos artigos. Foi encontrada na residência uma TV que havia sido furtada da barbearia. Os homens e os produtos foram levados à delegacia para registro.

PMDF RESGATA OURIÇO-CACHEIRO


(*) Wyslan Teles

Uma equipe do Batalhão de Policia Militar Ambiental (BPMA), realizou o resgate de um ouriço-cacheiro em Sobradinho, na manhã de hoje, 16 de novembro.

O animal, que está em boas condições físicas, será solto no seu habitat natural.


(*) Fonte PMDF

Nota de Esclarecimento sobre o Concurso Público da CLDF


Mesa Diretora vai acatar sugestões do TCDF

Com o objetivo de tranquilizar os futuros candidatos e assegurar a continuidade do concurso para a Câmara Legislativa do Distrito Federal, a Mesa Diretora da Casa optou por acatar as sugestões do Tribunal de Contas do DF e, dessa forma, realizar as adaptações necessárias ao prosseguimento do certame.

Cumpre informar que os candidatos não terão nenhum prejuízo, tendo em vista a manutenção do quantitativo de vagas oferecidas por esta Casa de Leis. O calendário do certame passará por adaptações que serão divulgadas oportunamente.

A Mesa Diretora entende que as mudanças que serão realizadas são importantes para a segurança jurídica dos que vão participar do processo seletivo. Em conformidade com a orientação dos órgãos fiscalizadores, os aperfeiçoamentos serão feitos com celeridade. Não haverá, portanto, descontinuidade no processo de realização do concurso.


(*) Mesa Diretora da Câmara Legislativa do DF / Foto: Silvio Abdon/CLDF

CASA DOS AMIGOS


Tribunal aponta trambique e cancela concurso da Câmara Legislativa

(*) Carolina Paiva

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) determinou à Câmara Legislativa que anule a seleção da Fundação Carlos Chagas (FCC) como banca responsável pela organização e realização do concurso público do órgão. Também devem ser anulados todos os atos posteriores relacionados ao concurso.

O parecer aprovado pelo Plenário do Tribunal foi do conselheiro Márcio Michel, ex-deputado distrital e profundo conhecedor dos vícios daquela Casa legislativa.

Na avaliação da Corte, houve violação dos princípios da isonomia, da impessoalidade, da motivação, da moralidade, da seleção da proposta mais vantajosa, da legalidade e do interesse público. O Tribunal verificou, por exemplo, ausência de motivação, baseada em critérios minimamente objetivos, para a escolha da FCC na etapa de seleção das propostas criada pela própria Administração.


Na escolha, a Câmara Legislativa do DF afirmou que a análise das propostas levou em consideração “todos os aspectos relacionados aos valores das taxas de inscrição, à experiência técnica na realização de processos seletivos complexos, em especial a segurança, confiabilidade e qualidade na condução de certames semelhantes na área do Legislativo”.

Porém, segundo o Tribunal de Contas, não há definição clara do peso dado a cada um desses parâmetros para que se concluísse que a proposta da FCC era melhor do que as propostas das outras seis instituições participantes.

O TCDF cita como exemplo o critério da taxa de inscrição, para os cargos de nível superior, onde o Instituto Quadrix fixou o valor em R$ 75, enquanto a FCC propôs R$ 88, mesmo valor constante da proposta do Cespe. Já para os cargos de nível médio, o Instituto Quadrix ofertou R$ 65, enquanto a FCC propôs R$ 63 e o Cespe, R$ 66. A FGV propôs R$ 85 para os cargos de nível superior e R$ 70 para os de nível médio.

Outra irregularidade apontada foi a restrição de participação da Funrio no processo administrativo de dispensa de licitação, mesmo diante de manifestação de interesse oficialmente feita por meio de requerimento protocolado pela banca na CLDF.

No julgamento, o TCDF considera que a dispensa de licitação, neste caso, não fere a Lei Geral de Licitações e Contratos e nem a jurisprudência da Corte. No entanto, os atos adotados pela Câmara Legislativa no processo que resultou na escolha da FCC contêm vícios insanáveis. No Processo Administrativo n.º 001.000672/2016, a CLDF adotou um procedimento híbrido. Não realizou chamamentos públicos (ao menos não oficialmente). No entanto, aceitou propostas de prestação de serviços de sete diferentes instituições e se recusou a receber a da Funrio sem justificativa. Além disso, ao analisar as propostas, não estabeleceu regras adequadas e transparentes para legitimar a escolha do vencedor.

Para a Corte, o tratamento desigual às bancas interessadas fere os princípios da igualdade, da isonomia e da impessoalidade e traz dúvida substancial a respeito da obtenção da proposta mais vantajosa para a Administração.

O Tribunal também apontou o indevido aumento dos valores de inscrição, em desfavor dos candidatos interessados em participar do concurso, devido a uma exigência contida no projeto básico que contaminou as propostas e resultou em uma cláusula contratual sem amparo legal. A exigência era de que 10% do valor arrecadado com as taxas deveriam ser revertidos ao Fundo de Assistência à Saúde dos Deputados Distritais e Servidores da Câmara Legislativa do Distrito Federal (FASCAL).


Fonte: Carolina Paiva, Edição - Foto/Arquivo -  Notibras

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

CONDOMÍNIOS HORIZONTAIS DF

Secretaria do Meio Ambiente propõe indicadores para certificar condomínios sustentáveis


Serão realizados testes em condomínios horizontais e a Subsecretaria de Resíduos Sólidos quer a avaliação da sociedade sobre o resultado do grupo de trabalho para estimular o equilíbrio socioambiental

Ideia de um condomínio sustentável. Foto: Reprodução/Solar Volt

O Grupo de Trabalho sobre Condomínios Sustentáveis apresentou e a Secretaria do Meio Ambiente aprovou uma proposta de indicadores para certificar condomínios horizontais que adotarem práticas benéficas para o meio ambiente e para a sociedade. Os indicadores serão submetidos a um teste prático em alguns condomínios para avaliar a sua consistência e também à opinião dos cidadãos.

Os indicadores integrarão um programa de incentivo à sustentabilidade por meio da certificação. Segundo o secretário do Meio Ambiente, André Lima, a iniciativa poderá viabilizar, facilitar e orientar o processo de regularização dos condomínios horizontais.

A presidente do Movimento Comunitário do Jardim Botânico, Rose Marques, disse que o projeto irá motivar as pessoas a adotarem ações sustentáveis em suas casas. “O papel do governo é incentivar e apoiar as ações comunitárias saindo da postura de cobrar e exigir”, disse, ao avaliar que a atitude da Sema-DF tem a simpatia da comunidade.

André Lima assinalou que espera ainda a colaboração da sociedade, que poderá avaliar o documento aprovado pelo grupo de trabalho e encaminhar sugestões à Subsecretaria de Resíduos Sólidos e Saneamento Ambiental (Sursa). “Quanto mais condomínios assumirem essa responsabilidade ambiental, mais fácil será o licenciamento e regularização ambiental das unidades habitacionais que são regularizáveis”, explicou.

Com a certificação em vigor, a proposta da Sema-DF é que sejam criadas linhas de crédito para os condomínios comprometidos com esse programa. Com esse financiamento serão possíveis práticas como o uso da energia solar, reúso da água, educação ambiental, compostagem, captação de água da chuva, processamento de resíduos sólidos. “São ações que melhoram os indicadores de sustentabilidade”, explicou o secretário.

Conforme explicou o subsecretário de Resíduos Sólidos e Saneamento Ambiental (Sursa) da Sema-DF, Jorge Artur, os indicadores são propostas iniciais para aferição e validação de atividades sustentáveis, que vão melhorar a qualidade de vida e o equilíbrio ambiental. Estão entre esses indicadores, a prática de gestão de resíduos, tratamentos e formas de redução de consumo de água, ou captação, mobilidade solidária e acessibilidade a transporte coletivo, uso de cobertura vegetal, produção e consumo de energia, preservação de áreas de proteção permanente e de nascentes, além da inter-relação dos condomínios com as comunidades vizinhas.

A sociedade pode enviar as suas contribuições pelo e-mail condominiossursa@gmail.com.

Critérios
 Grupo de Trabalho

Criado pela portaria 83 de 1º de setembro de 2017, o Grupo de Trabalho visava propor critérios de sustentabilidade socioambientais a serem considerados na concepção de mecanismos de certificação de sustentabilidade de condomínios horizontais no Distrito Federal.

Seis organizações fizeram parte do grupo. São elas: Secretaria do Meio Ambiente (Sema-DF), Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Movimento Comunitário do Jardim Botânico, Ordem dos Advogados de Brasília (OAB-DF), Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) e Instituto de Avaliação, Pesquisa, Programas e Projetos Socioambientais (Oscip).

Mais informações:

E-mail: comunicacaosema@gmail.com

Telefone: (61) 3214 – 5611

ARTIGO por Henrique Matthiesen

A DIGNIDADE EXIGE A CAPACIDADE DA HONRA

Algumas características do comportamento humano, que formam a honra do indivíduo, são baseadas em valores altruístas como: a dignidade, a honestidade e a hombridade.
Inerente da conduta humana, os que cultivam esses princípios, têm relação intrínseca com a probidade social, e com o convívio coletivo. Sem a devida fecundação desses princípios retrocedemos ao primitivismo e ao mau-caratismo.
Entre suas diversas faces, a honra tem vários sentidos e conotações, entretanto, conjectura-se muito sobre a dignidade da existência.
Virtuosa, a dignidade tem a honra como exigência sine qua non de sua raiz valorativa; sem honra não há dignidade, não há virtude, não há probidade, não há humanidade.
Exigido como atributo a dignidade tem que ser exercitada em sua plenitude, sob pena de decomposição, degeneração e corrosão. Deve ser aguada, fecundada, cultivada.
Repartir a dignidade é raciocinar e laborar por uma sociedade mais ereta, menos animalesca, mais cordata.
Contemporaneamente vivenciamos uma era da perda paulatina destes preceitos. A incivilidade, predicado da perda da dignidade, e consequentemente, da honra nos traz um mundo em processo de denso regresso.
Relativizamos, convenientemente, a dignidade e a honra em nome do individualismo, em benefício da esperteza, em prol do egocentrismo.
Ser desprovido de um comportamento baseado em valores que circuncidam a honra tem sido estilo de uma existência sem lastro com a razoabilidade coletiva, que contribue de forma perversa para a desesperança humana.
Afinal, por onde anda a dignidade humana?
Por onde anda a honra?
Qual mundo estamos edificando?
Respostas complexas de natureza simples.
Porquanto, a dignidade exige a capacidade da honra, mas muitos já abdicaram tanto da dignidade quanto da honra.



(*) Por Henrique Matthiesen, (foto), Bacharel em Direito, Jornalista e colaborador do Jornal de Sobradinho

CIDADE

Obra na Quadra 12 interdita entrada de moradores dos conjuntos B e C

Alguém já parou um pouquinho e prestou atenção no que está acontecendo com a obra iniciada ali na Quadra 12. Pois bem, simplesmente uma incorporadora ao que tudo indica comprou a entrada dos conjuntos B e C, entre o CL 07 e o CL 09, isto para construir mais um prédio ou algo que o valha.

A entrada que sempre existiu desde o começo de nosso Sobradinho, situada entre o hoje Ricardo Eletro e uma Farmácia e, tendo quase no meio um Posto Móvel da Polícia Militar, foi solenemente fechada, dando lugar a uma cerca horrorosa de tapumes igualmente horrorosos, onde a obra está sendo tocada e que parece sem que ninguém se sinta incomodado. Por sua vez, os moradores dos conjuntos B e C da Q. 12, foram proibidos de fazerem o trajeto que sempre fizeram ao longo de décadas para chegar em suas casas, sendo obrigados ao uso de desvios.


Fonte: Tarcísio Pádua/ aliastpadua.com.br

MOBILIDADE URBANA NO DF

Carteira Nacional de Habilitação digital passará a valer no DF
Para ter acesso ao documento, o motorista deverá ter a versão impressa com QR code e a certificação digital. Lançamento ocorreu nesta quinta (16), com a participação do governador Rodrigo Rollemberg

(*) GABRIELA MOLL E MARYNA LACERDA




 Condutores brasilienses poderão ter acesso à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) digital. Lançado nesta quinta-feira (16) pelo Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF), o documento eletrônico é uma forma de oferecer mais segurança e comodidade aos motoristas.
Para ter acesso à Carteira Nacional de Habilitação, o motorista deverá ter a versão impressa com QR code e a certificação digital. Lançamento ocorreu nesta quinta (16), com a participação do governador Rollemberg.

A iniciativa é uma parceria com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). O Detran do DF é o segundo do País a adotar a CNH digital. O primeiro foi o de Goiás.


O documento armazena dados em QR Code — código lido por aparelhos celulares para conversão em links — dentro de um sistema criptografado de acesso às informações.

A implementação da tecnologia no âmbito do Distrito Federal é uma forma melhorar o atendimento à população, de acordo com o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. “Esse é mais um passo importante para modernizar Brasília”, afirmou.

Desde maio, o código bidimensional está presente nas carteiras de motorista impressas. Atualmente, mais de 200 mil condutores do DF já possuem a CNH em papel com QR Code no verso. Esses, já podem solicitar a carteira digital sem custos, por meio do portal de serviços do Denatran.

O objetivo é tornar mais eficiente o contato do órgão de trânsito com a comunidade. “Para que a gente possa, cada vez mais, melhorar o atendimento”, defendeu o diretor-geral do Detran, Silvain Fonseca.

O documento está disponível por meio de aplicativo da CNH Digital nas Lojas iTunes (iOS) e Play Store (Android).
A carteira eletrônica substitui a impressa, mas o condutor pode optar por portar qualquer uma das duas, ou ambas

O condutor que quiser acessá-la, deverá obrigatoriamente ter uma habilitação impressa com QR Code e estar com os dados devidamente atualizados no Detran — principalmente o e-mail e o telefone celular com DDD, no qual será visualizada a CNH digital.


Caso o motorista ainda não tenha CNH com QR Code, precisará comparecer pessoalmente ao Detran para fazê-la. A inscrição de forma presencial é uma forma de evitar fraudes. Não há cobrança de taxa.

Essa atualização poderá ser feita via 154 ou pelo site do Detran-DF.

Agora, com o acesso ao Portal de Serviços do Denatran e com os dados confirmados pelo Detran, é possível solicitar um código de ativação para o documento digital, que será enviado por e-mail e em seguida, diretamente pelo aplicativo.

A carteira eletrônica substitui a impressa, uma vez que ambas possuem o mesmo valor jurídico. O condutor pode optar por portar qualquer uma das duas, ou ambas.

A não apresentação da CNH acarreta multa de R$ 88,38, três pontos e retenção do veículo

A apresentação da CNH, impressa ou digital, é obrigatória e a falta do documento acarreta multa de R$ 88,38, três pontos na CNH e a retenção do veículo.

O chefe do Executivo local aproveitou a ocasião para destacar que, até outubro deste ano, Brasília registou o menor índice de mortes no trânsito da história do território. “Tivemos 114 mortes a menos neste ano em relação ao ano passado. Vamos continuar com o trabalho para reduzirmos ainda mais”, explicou.

Mais de 1,5 milhão de condutores poderão ter a CNH digital

De acordo com o Detran-DF, há mais de 1,5 milhão de condutores de veículos que, até 2022, poderão estar com suas carteiras digitais, uma vez que a CNH tem validade de cinco anos.


Até setembro, foram emitidos quase 300 mil documentos no DF, uma média de 33 mil por mês. No Brasil, o total foi de 13 milhões.

Conforme determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o processo de implantação da CNH Digital nos Detrans do País deverá estar concluído até fevereiro. Desde o lançamento da CNH digital, no início de outubro, já foram feitos mais de 1.800 cadastros no portal do Denatran.

fonte: GABRIELA MOLL E MARYNA LACERDA,  EDIÇÃO: VANNILDO MENDES, Fotos: Andre Borges/Agência Brasília

JÁ EM CIRCULAÇÃO...


EXTRA, EXTRA!!!!


Já nas bancas e revistarias de Sobradinho I, II, Grande Colorado, Condomínios Horizontais e órgãos públicos a edição de número 335 referente a Segunda Quinzena de Novembro de 2017.

Essa é uma cortesia dos apoiadores, patrocinadores e do editor deste veículo de comunicação.

Adquira gratuitamente seu exemplar na banca mais próxima de sua residência!

Acesse: 


http://www.calameo.com/books/003027461441c65a42917








Adquira gratuitamente seu exemplar na banca mais próxima de sua residência!

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

SAÚDE DF

Saúde reorganiza o acesso aos prontos-socorros

Com a medida, casos mais simples serão direcionados a uma UBS. Pessoas com quadro clínico grave terão atendimento facilitado nos hospitais.

Agora, quem procurar um hospital da rede pública de saúde em situações de baixa complexidade será orientado a buscar a unidade básica de saúde (UBS) mais perto de casa.

O protocolo, instituído pela Portaria n° 386, de julho de 2017, que reorganiza os procedimentos dentro do pronto-socorro, entrou em vigor em 3 de novembro.

Assim, os prontos-socorros passam a ter quatro unidades principais:
de medicina de emergência (antiga clínica médica)
de trauma, para pacientes que sofreram acidentes
de emergência obstétrica, para gestantes
de emergência pediátrica, para atendimento emergencial a crianças

Além dessas, mais duas atendem por livre demanda — a ortopedia e a oftalmologia.

Os setores, no entanto, não estão todos presentes em locais como o Hospital Regional de Samambaia e o Hospital Materno-Infantil de Brasília (Hmib). Essas duas unidades atenderão, respectivamente, emergência obstétrica e medicina de emergência; e emergência obstétrica e pediátrica.


Segundo o coordenador de Atenção Especializada da Secretaria de Saúde, Fernando Uzuelli, a nova estrutura alinha o modelo de assistência do DF com práticas adotadas em países como Inglaterra, Austrália e Canadá. “São lugares com medicina socializada de boa qualidade, onde a ideia de ter vários especialistas na porta de entrada desaparece.”

No caso do Hospital de Base do DF, por exemplo, passa-se a ter duas unidades de emergência, com a medicina emergencial e o centro de traumas. O atendimento de ortopedia e oftalmologia também continua, mas direcionado a pacientes mais graves.

Mudança na forma de acesso à saúde pública fortalece a atenção primária e desafoga emergências dos hospitais

As alterações na forma de acesso aos prontos-socorros são mais um passo na reestruturação da rede pública de saúde, com o fortalecimento da atenção primária.

Para que o referenciamento dos pacientes com menor complexidade — classificados como de riscos azul ou verde — seja para as unidades básicas de saúde, foi preciso que elas passassem antes por uma série de adequações.

Além de passar aos poucos a funcionar exclusivamente dentro da Estratégia Saúde da Família, as UBS tiveram atendimento ampliado, o que facilita o acesso do paciente.

Na visão de Uzuelli, isso é fundamental para que as modificações sejam possíveis. “O processo de conversão foi a primeira medida e a mais importante. Todas as outras fazem parte de uma reestruturação do serviço segundo a atenção básica.”

A regulamentação para os serviços de emergência ocorre de acordo com a classificação de risco, que identifica os sintomas do paciente e determina o atendimento necessário diante da gravidade do caso. De acordo com o coordenador, trata-se de procedimento de enfermagem.

Caso o paciente apresente algum sintoma crônico, mas de baixa complexidade, em um horário em que não seja possível o atendimento em UBS — como à noite ou aos fins de semana — deve-se procurar uma unidade de pronto atendimento (UPA).
Medida deve desafogar emergências

Toda a reorganização do fluxo de pacientes possibilita que a rede priorize o atendimento de emergência para quem realmente precisa dele.

70%
Porcentual de crianças que procuram o hospital quando o quadro clínico, de baixa complexidade, recomenda atendimento em UBS

Segundo a secretaria, a maior parte dos casos que atualmente chegam aos prontos-socorros tem a possibilidade de ser tratada na atenção primária.

Para o coordenador de Atenção Especializada, a portaria, então, se propõe a resolver o problema de superlotação dos prontos-socorros da rede.

No caso do Hmib, por exemplo, ele calcula que cerca de 70% das crianças que procuram o hospital poderiam estar em UBS por ser o quadro clínico de baixa complexidade.

O Hmib tem um custo alto, explica o coordenador, por tratar crianças extremamente prematuras, com doenças raras ou que demandam cirurgias complexas. “Atualmente, o hospital acaba fazendo atendimento, por exemplo, de diarreia, resfriado e febre, que poderiam tranquilamente ser atendidos por uma UBS”, conclui.

A portaria define que a unidade pediátrica é destinada a atender qualquer urgência de pacientes de até 14 anos incompletos, com quadros agudos de emergência não traumática.


São prioridades casos como os de pacientes inconscientes; com insuficiência respiratória ou cardiocirculatória; com crise convulsiva; ou vítimas de afogamento.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

REGULARIZAÇÃO CONDOMINIAL NO DF

Venda direta: Paranoazinho tem o menor preço do DF


O Governo do Distrito Federal alterou as regras para a venda direta de lotes em condomínios em situação irregular, adotando medidas similares ao modelo usado na negociação da UPSA com os moradores da região da Fazenda Paranoazinho. Com o anúncio da lei 13.465/17, foram flexibilizadas as normas para comercialização dos terrenos irregulares sob responsabilidade do governo.

O anúncio das novas regras pelo GDF veio após a decisão do governo federal de não fazer o repasse das terras da União no DF para a gestão da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap). Será responsabilidade da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) negociar com os moradores instalados nas terras da federação.

A lei 13.465/17, sancionada pelo Governo Federal através da Medida Provisória 759, está sendo a base para o processo de regularização de áreas públicas por partes do GDF e da SPU. No entanto, a lei já é alvo de uma ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) no STF, movida pela Procuradoria Geral da República, correndo o risco de ser suspensa caso a Côrte acolha o pedido.

Mesmo com todas as mudanças anunciadas, e também em comparação com as normas federais, as condições oferecidas pela UPSA são visivelmente melhores, com condições especiais e preços mais baixos.

Ricardo Birmann, diretor-presidente da UPSA, aponta que a negociação praticada pela Urbanizadora oferece melhores descontos e condições de pagamento. “O preço da UPSA é bem inferior ao da Terracap.

Seria como se nós tivéssemos um desconto constante de mais de 60% em todos os contratos, não apenas naqueles que pagarem à vista”, explica.

Por serem instituições públicas, a Terracap e a SPU (leia a entrevista nesta edição) não podem vender os lotes por valores muito baixos.

As instituições devem obedecer aos padrões financeiros praticados pelo mercado imobiliário.

Outras normas estabelecidas neste novo conjunto de regras já faziam parte das condições oferecidas pela UPSA. O pagamento da primeira parcela 30 dias após a assinatura do contrato de regularização está entre as medidas anunciadas pelo GDF.

A Urbanizadora também oferece condições especiais no financiamento para pessoas idosas ou com problemas de doença grave na família. Independentemente da idade do morador, a UPSA concede financiamento em um prazo de até 120 meses.



Ascom UPSA