Pesquise neste blog

sábado, 20 de janeiro de 2018

BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO

PMDF APREENDE ARMA DE FOGO COM UMA ADOLESCENTE EM SOBRADINHO


Policiais militares do 14º Batalhão de Sobradinho, apreenderam uma adolescente com um revolver calibre 38 na vila Rabelo 2, por volta das 16h50 de sexta-feira (19/01).

Durante patrulhamento, os prefixos de GTOP 33 A e B visualizaram um casal na via pública, que ao perceber a aproximação das viaturas, demonstrou nervosismo, sendo então abordado.

Na revista pessoal nada de ilícito foi localizado, porém, na bolsa em que a adolescente carregava, foi encontrada uma arma de fogo, sendo um revólver calibre 38, de marca Taurus, com 06 seis munições intactas.

O maior de idade, com várias passagens pela polícia, negou a posse da arma, Já a menor F.S.F. foi apreendida à DCA pelo Ato Infracional Análogo ao Crime de Porte Ilegal de Arma de Fogo.


(*) Romeu Pires/PMDF

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

CRISE HÍDRICA NA REGIÃO NORTE DO DF

Planaltina e Sobradinho são as regiões mais críticas do DF, diz Caesb
Em outubro, volume do principal córrego diminuiu e gerou seis dias sem água; cooperativa de Planaltina calcula que produção caiu pela metade. Caesb estuda medidas para 'aliviar' bacia.

Por Letícia Carvalho, G1 DF
Série do G1 mostra os impactos de um ano de racionamento de água no DF (Foto: Jéssica Almeida/G1)

“Um lugar de muita riqueza, próximo a um lago.” Para o padroeiro de Brasília, Dom Bosco, essa seria a definição do lugar localizado entre os paralelos 15 e 20 do hemisfério Sul. No espaço, criou-se um monumento – a Pedra Fundamental –, e desenvolveu-se a 9 quilômetros dali a região administrativa de Planaltina. Apesar da premonição do religioso, a região tem sofrido, ano após ano, com a falta de um recurso precioso: a água.

Em outubro de 2017, Planaltina viu um dos seu principais córregos e fonte de abastecimento, o Pipiripau, amargar com a escassez de água. Os 179 mil moradores da região foram pegos de surpresa e tiveram que enfrentar longos períodos sem o recurso.

Alguns bairros chegaram a ficar seis dias com as torneiras secas no período em que a capital registrou a maior temperatura da história, 37,3°C. Uma de suas vizinhas, Sobradinho, que tem 142.449 mil habitantes, também padeceu do mesmo problema no ano passado.

 Córrego do Pipiripau, principal fonte de abastecimento de água das regiões de Planaltina e Sobradinho, no Distrito Federal (Foto: Letícia Carvalho/G1)


Diferentemente das outras regiões administrativas abastecidas pelos reservatórios do Descoberto e de Santa Maria, Planaltina e Sobradinho dependem exclusivamente dos córregos – Pipiripau, Mestre D'Armas, Quinze, Corguinho, Brejinho, Paranoázinho e Fumal – para terem água nos canos dos imóveis.

Assim como esses locais, Brazlândia também necessita do volume dos rios para prover água aos seus 46.302 mil moradores. Nesse caso, os responsáveis pelo fornecimento são o Barrocão e Capão da Onça.

Ao G1, o presidente da Companhia de Saneamento do Distrito Federal (Caesb), Maurício Luduvice, reconheceu que a área mais ameaçada pela falta de água é a que abriga Planaltina e Sobradinho.

“A área mais crítica em termo de disponibilidade hídrica no Distrito Federal, no nosso pequeno quadradinho, é a região nordeste, exatamente Sobradinho e Planaltina.”

O especialista em recursos hídricos Oscar Cordeiro Netto corroborou o posicionamento do presidente da Caesb:

“A situação é complicada em Planaltina e em Sobradinho, porque não têm reservatório. Se tiver um período de estiagem muito grande, vão padecer com racionamento."


Captação de água da Caesb no córrego do Pipiripau, em Planaltina, no Distrito Federal (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Embora a companhia confirme que Planaltina e Sobradinho sejam locais críticos, as duas regiões e Brazlândia não foram submetidas ao racionamento – imposto aos moradores das áreas que recebem água das barragens do Descoberto e de Santa Maria desde o início de 2017.

Mas, no auge da seca que atingiu o DF no ano passado, a população chegou a desembolsar até R$ 100 por um galão de água porque a Caesb interrompeu o fornecimento para recuperar a capacidade dos córregos.


Moradores de Planaltina ficaram seis dias sem água; região registrou recorde de temperatura da história do DF (Foto: Tony Winston/Agência Brasília )

A balconista Rejanne de Jesus, de 42 anos, mora na Vila Buritis – um dos bairros de Planaltina –, e ficou sem água em casa por cinco dias consecutivos em outubro.

“A reserva da nossa caixa d'água acabou em uma sexta-feira. No domingo, tentamos comprar água, mas até os depósitos estavam sem. Liguei em um local e queriam cobrar R$ 45 pelo galão vazio e R$ 25 só para enchê-lo. Na Estância, tem gente vendendo por R$ 100”, contou Rejanne de Jesus.


Tradicional clube de Planaltina, o Cachoeirinha do Pipiripau usa água do córrego para alimentar piscina do local (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Tradicional clube de Planaltina, o 'Cachoeirinha do Pipiripau' também "sofreu" no período da escassez de água. O espaço, que fica a poucos quilômetros de distância da captação da Caesb, precisou fechar a piscina em outubro e novembro do ano passado.

"Nunca tínhamos visto isso. O rio ficou praticamente seco e tivemos que fechar a piscina", disse o estudante José Genaro, filho do dono do local.

Agricultura

Produtores agrícolas também calcularam prejuízos. Responsável pelo comando da Cooperativa Agrícola da Região de Planaltina (Cootaquara), Maurício Severino de Rezende disse que nunca tinha passado por um período com “tão pouca água” e “tantas restrições” como em 2017.

“Produzimos cerca de 400 toneladas de hortaliças, legumes e verduras por mês. Em outubro, foram 253 toneladas e, em novembro, 240 toneladas.”


Produção de pimentão em chácara do núcleo rural Taquara, em Planaltina, no Distrito Federal (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Com mais de 300 cooperados, a organização abastece grandes redes de mercado do DF. Segundo Rezende, durante os meses da seca, houve momentos em que a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento (Adasa) restringiu a irrigação das 18h às 6h. O núcleo rural Taquara também depende da água do córrego Pipiripau.

“Neste ano, a gente vai se programar pensando no mesmo cenário de 2017. Vamos tentar evitar, ao máximo, o que aconteceu com a nossa colheita no ano passado”, diz Rezende.

Em nota, a Adasa apontou que foram aprovadas e implementadas, na medida em que a seca se intensificou, diversas restrições. Entre elas, estava a redução do horário de captação dos irrigantes de forma que não concorresse com a captação da Caesb. Atualmente, “as restrições estão suspensas, pois a bacia responde bem aos níveis de chuva”.


Funcionários da Cooperativa Agrícola da Região de Planaltina (Cootaquara), em Planaltina, no DF, limpam pimentões colhidos pelos agricultores da região (Foto: Letícia Carvalho/G1)

A captação de água no Pipiripau, normalmente, é de 250 litros por segundo. Na época da seca, principalmente em outubro, a retirada caiu para 125 litros por segundo. “Houve um uso intenso da água na bacia. Com as ações da Adasa, na gestão do Piripipau, voltamos a captar 250 litros por segundo. Esse aumento de vazão permitiu a regularização dos abastecimentos”, explicou o presidente da Caesb, Maurício Luduvice.

“Ali, a gente tem uma competição com a agricultura irrigada. Então, é importante que sejam feitas ações no Pipiripau. A outorga da Adasa nos permite retirar 400 litros por segundo do córrego. Hoje, a gente não consegue captar 280, 300”, disse.

A normalização do fornecimento de água ocorreu após o fechamento do canal Santos Dumont, que retira água do córrego Pipiripau para a irrigação de agricultores. Com a medida, o abastecimento de Mestre D'Armas e Vale do Amanhecer – bairros de Planaltina – e de Sobradinho I e II foi retomado.

O subsecretario de Abastecimento e Desenvolvimento rural da Secretaria de Agricultura, Francisco Hercilio da Costa Matos, acrescentou que, na região do Santos Dumont, foram construídos tanques para evitar a perda de água por infiltração. Além disso, a pasta conseguiu um investimento de R$ 10 milhões para canalizar todo o canal do Santos Dumont.

“Estamos tratando ali de um conflito de interesses. A preferência é para o abastecimento público, mas, por outro lado, temos o abastecimento da agricultura, da produção agrícola.”


Detalhe dos pimentões produzidos por agricultores da Cooperativa Agrícola da Região de Planaltina (Cootaquara), no Distrito Federal (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Matos disse ainda que o Programa Produtor de Água na bacia do Pipiripau, que remunera produtores rurais por seus serviços ambientais, foi prorrogado pelos próximos cinco anos.

A iniciativa tem como objetivo o controle da poluição em bacias de importância estratégica. As metas são reduzir a erosão, melhorar a quantidade e a qualidade da água e regular o regime hidrológico dos rios, por meio do plantio de vegetação nas nascentes.

Com recursos do projeto, foi revitalizado um viveiro público. Ao todo, foram produzidas 350 mil mudas de plantas nativas.


Córrego do Pipiripau, em Planaltina, no Distrito Federal (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Sem previsão de racionamento

Mesmo com esse cenário, a companhia informou que, no momento, não há previsão de rodízio para essas áreas. No entanto, o órgão disse que “se houver necessidade, será implantado e a população avisada com antecedência”.

Durante a seca que atingiu o Distrito Federal, os níveis dos principais córregos ficaram tão baixos que as bombas não conseguiram captar a água. Como a captação nessas regiões é feita diretamente nos cursos dos rios, vai faltar água sempre que os níveis dos córregos ficarem abaixo das bombas.


Tanques que armazenam água captada no córrego do Pipiripau, em Planaltina, no Distrito Federal (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Na prática, de acordo com a Caesb, não é possível prever quando os moradores vão ficar sem abastecimento. Também não há projetos para a construção de reservatório na região. A recomendação é adquirir uma caixa d'água.

Soluções

Para tentar minimizar os impactos da seca na área, a Caesb analisa bombear água da estação emergencial do Lago Paranoá até algumas áreas de Sobradinho II.

“Estamos estudando levar parte da água que a gente capta no [Lago] Paranoá, por exemplo, para abastecer algumas regiões de Sobradinho e, com isso, aliviar o Pipiripau.”


Tubulação usada para captar água do Lago Paranoá (Foto: TV Globo/Reprodução)

Na última segunda-feira (15), a companhia inaugurou um sistema que permite bombear água do Lago Paranoá até a estação de tratamento do Plano Piloto. Na prática, isso faz com que a água do lago – que era distribuída apenas para Lago Norte, Varjão, Paranoá e parte de Sobradinho – também vá para a Asa Sul, Asa Norte, Noroeste e Sudoeste.


Fonte: G1/DF

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

BOLETIM DE OCORRÊNCIAS NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO


PMDF APREENDE ARMA, SIMULACRO E DROGAS EM SOBRADINHO

(*) Eduardo Soares

Policiais militares do Grupo Tático Operacional do 13º Batalhão (Gtop 33) apreenderam uma arma de fogo, um simulacro e 15 porções de maconha, na DF 150 em Sobradinho, por volta de 1h desta quinta-feira (18).

A equipe patrulhava a região quando, no estacionamento de um bar conhecido como Capim Gordura, avistou um grupo de pessoas em atitude suspeita.

Percebendo que seriam abordados, todos fugiram em direções distintas para um matagal. Ninguém foi preso.

Em revista no local, a equipe encontrou uma espingarda calibre 22, o simulacro de pistola e as porções de maconha.


ROUBARAM CELULARES E FORAM “GRAMPEADOS”

(*) Fabio Evangelista
  


Policiais militares do 13º Batalhão prenderam três homens suspeitos de roubarem uma loja de eletrônicos no Serra Shopping, área central de Sobradinho. O estabelecimento foi roubado, por volta das 9h desta quinta-feira (18), e os funcionários foram feitos reféns.

A PMDF foi acionada, fez o cerco na área e abordou o veículo com os suspeitos ainda na mesma avenida que aconteceu o roubo. O trio foi detido com um revólver calibre 38, com cinco munições intactas, um simulacro de pistola, 41 aparelhos celulares avaliados em R$ 50 mil e um tablet.

Todos são moradores de Planaltina de Goiás e foram encaminhados para a 13º DP onde foi registrada a ocorrência.

FORAGIDO DA JUSTIÇA É PRESO COM 90 GRAMAS DE COCAÍNA E UM CRACHÁ ROUBADO



No dia (17), por volta de 15h30, na BR 020, próximo à quadra 14 de Sobradinho, a PMDF prendeu um foragido da Justiça. Ele foi encontrado com droga dentro da cueca.

A equipe de policiais militares realizava patrulhamento quando foi acionada por um cidadão que disse ter visto um homem na BR 020 com uma grande porção de cocaína. Segundo a testemunha, o indivíduo teria oferecido cocaína para ele. Com as características do homem, a equipe realizou patrulhamento e, nas proximidades de um posto de combustível, ele foi localizado. Durante a abordagem foi localizado, dentro de sua de sua roupa íntima, um embrulho contendo aproximadamente 90 gramas de cocaína. Ao ser verificada informações no banco de dados, foi constatado que havia contra ele um mandado de prisão em aberto por furto no Paranoá.

O indivíduo foi conduzido à 13º delegacia de Sobradinho para as medidas cabíveis.



(*) Escrito por Comunicação Social- PMDF

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

SAÚDE

DF POSSUI LEI QUE CRIA POLÍTICA DE DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA

O Brasil possui o terceiro maior banco de doadores de medula óssea do planeta, no qual encontram-se cadastradas aproximadamente quatro milhões de pessoas. O país fica atrás apenas dos Estados Unidos e Alemanha. Essa excelente posição deve-se a  existência de uma legislação moderna sobre o tema e a ações desenvolvidas pelos governos e a sociedade que contribuem para conscientizar a população sobre a necessidade de tal iniciativa em defesa da vida.

No Distrito Federal, por exemplo, encontra-se em vigor a Lei nº 5.343/2014, de autoria da deputada distrital Luzia de Paula, que estabelece diretrizes, objetivos e ações para a implantação da Política de Mobilização para Doação de Medula Óssea. O objetivo da norma, segundo a autora, é aumentar o número de doadores, incrementar as campanhas de incentivo e esclarecimento e divulgar e conscientizar a população sobre a importância e a necessidade das doações.

A parlamentar informa que a lei tem como principais diretrizes a integração da população com a Fundação Hemocentro de Brasília, a mobilização do setor de saúde para o funcionamento da política, o relacionamento com as políticas e ações do Sistema Único de Saúde, a articulação das áreas de governo e da sociedade e a divulgação estratégica dos procedimentos de doação.

“Embora os dados apontem o Brasil em uma situação melhor que outros países, não podemos negar que é preciso aumentar o número de doadores de medula óssea no Distrito Federal, cuja deficiência deve-se a pouca informação sobre a importância da doação para salvar vidas. Com isso, não temos dúvida de que a implementação de uma política que traga em seu bojo a realização de campanhas permanentes junto a população sobre a necessidade de praticar a doação, contribuirá para incrementar o cadastro de doadores e, logicamente, melhorar o atendimento das pessoas que se encontram na lista do GDF aguardando a disponibilidade de medula para o tratamento de sua saúde”, afirma Luzia de Paula.


A Fundação Hemocentro de Brasília informa que pode ser doadora a pessoa com idade entre 18 e 55 anos e que apresente bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante). Uma vez cadastrada, a pessoa poderá ser chamada a doar, desde que identificada como compatível com algum paciente. A FHB-DF é localizada no Setor Médico Hospitalar Norte, Quadra 03, Conj. "A", Bloco 03, na Asa Norte. Para formação de grupos de doadores é bastante o interessado ligar para 3327-4413, 3327-4447 e 99136-2495 (WhatsApp).

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

PROCON Instituto de Defesa do Consumidor - ECONOMIA - MATERIAL ESCOLAR NO DF


Procon divulga pesquisa de preço de material escolar


Os fiscais do Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon-DF) realizaram pesquisa de preço em 41 papelarias do DF, entre os dias 8 e 12 de janeiro. Na ação, servidores do órgão encontraram variações de 327% nos valores totais da lista dos materiais.

Os fiscais apresentaram uma lista com 20 itens escolares para pesquisa de preço, comparando o menor valor e o maior valor relativos a cada material da lista. O preço de um apontador (com depósito de um furo), por exemplo, variou de R$ 0,20 a R$ 23,90. A diferença entre valores se repetiu nos principais itens da lista, como caderno, borracha e lápis.

A variação do preço da borracha pequena (branca com capa plástica) atingiu 1.700%, de R$ 0,70 a R$ 11,90. Já o preço do lápis preto nº 2 variou de R$ 0,19 a R$ 8,90. O caderno de 10 matérias (capa dura de 200 folhas) pôde ser encontrado com valores entre R$ 5,99 e R$ 48,50.

Segundo o diretor de Fiscalização, Nivaldo Sá, a operação do Procon reforça o que o instituto sempre orienta ao consumidor: planejamento e pesquisa. "Se o consumidor fizer uma boa pesquisa de preço, ele consegue gastar em média três vezes menos na lista de material escolar. É o que prova a ação realizada pelo Procon".

Das papelarias que apresentaram todos os itens da lista de material, a mais cara está localizada na Asa Sul, com o valor total da lista em R$ 246,30. Já a mais barata fica em Sobradinho, com a lista somando R$ 75,30.

Confira aqui a pesquisa de preço completa.

TRÂNSITO

PMs sofrem acidente em Pajero da corporação na BR-020

Uma equipe do Corpo de Bombeiros está no local e presta socorro às vítimas

Uma Pajero do 13º Batalhão da Polícia Militar capotou na BR-020, sentido Planaltina, por volta de 15h desta terça-feira (16/1). O acidente aconteceu na altura do Supermercado Dia a Dia. Dois PMs que trabalham na área administrativa da corporação ficaram feridos. Um sofreu traumatismo craniano e, o outro, uma fratura exposta na perna.

Segundo informações da comunicação da Polícia Militar, o sargento Edmílson Inácio dos Santos teve escoriações, um corte na cabeça e uma possível fratura na perna, e foi levado para o Hospital Regional de Planaltina.

O outro policial, o também sargento Wilton Nunes de Almeida sofreu traumatismo cranioencefálico está inconsciente e instável. Socorristas o levaram para o Hospital Regional de Sobradinho, mas será transferido para o Hospital de Base do Distrito Federal.


Uma equipe do Corpo de Bombeiros socorreu as vítimas que foram transportadas, posteriormente, pelo helicóptero da PM. O carro da corporação foi parar no canteiro central. Além dos bombeiros, uma equipe da Polícia Rodoviária Federal e outra da PM estão no local.

Fonte: Correio Braziliense

LEILÃO DO DETRAN/DF

Detran abre visitação para 717 veículos a serem leiloados
São 67 automóveis conservados. O restante é sucata aproveitável ou com motor inservível. Lotes ficarão expostos de segunda (22) a sexta (26), e o leilão será em 29 de janeiro
 (*) César Filho
Os automóveis do primeiro leilão em 2018 de bens apreendidos pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) estarão expostos para visita de segunda (22) a sexta-feira (26), das 8h30 às 17h30.
Os automóveis do primeiro leilão em 2018 de bens apreendidos pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) estarão expostos para visita de segunda (22) a sexta-feira (26), das 8h30 às 17h30.

O leilão será em 29 de janeiro, a partir das 9 horas, no Ginásio de Esportes de Sobradinho (Quadra 2, Área Especial 1 a 5, próximo à rodoviária).
Dos 717 automóveis à disposição, 67 estão em condição de rodar. Os demais são sucata aproveitável ou sucata com motor inservível, entregues sem as placas, sem a identificação de chassi e com monobloco cortado. Motocicletas, motonetas e ciclomotores terão o quadro cortado.
Os interessados podem conhecer os veículos em dois endereços:
  • No pátio do Depósito de Veículos Apreendidos (DVA) I — Setor de Grandes Áreas Norte, Quadra 906, Bloco T
  • No pátio da Coordenação Regional de Policiamento e Fiscalização de Trânsito Leste — SGA, Área Especial 11, Lote 11, Sobradinho, altura do km 8 da BR-020
Os lotes são avaliados de R$ 150 a R$ 9.550. Segundo o Detran, os veículos destinados à circulação serão entregues livres de débitos anteriores, ficando por conta do arrematante os não vencidos (licenciamento, Imposto sobre Veículos Automotores — IPVA e seguro obrigatório de 2018) e as taxas de vistoria e de transferência.
O edital do leilão, o catálogo de veículos e o edital de notificação de retirada estão disponíveis para consulta no site do Detran.


Visitação aos veículos

De 22 a 26 de janeiro (segunda a sexta)
Das 8h30 às 17h30
No pátio do DVA I (Setor de Grandes Áreas Norte, Quadra 906, Bloco T) e no pátio da Coordenação Regional de Policiamento e Fiscalização de Trânsito Leste (SGA, Área Especial 11, Lote 11, Sobradinho)


Leilão do Detran-DF

29 de janeiro (segunda-feira)
Às 9 horas
No Ginásio de Esportes de Sobradinho (Quadra 2, Área Especial 1 a 5, Sobradinho)

(*) César Filho, Edição: Marina Mercante, Fotos: Pedro Ventura/Agência Brasília

BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO

MENORES ROUBAM CELULAR, SÃO RECONHECIDOS PELA VÍTIMA E ACABAM APREENDIDOS

(*) Gilmar Santos

A equipe policial composta pelo tenente Luciano e o sargento Marcelo patrulhava a entre quadra 08/06 de Sobradinho durante a tarde do dia (15) quando viu e suspeitou das atitudes de 2 adolescentes.

Ao avistar a viatura, um dos menores arremessou um objeto num matagal próximo.

Foi feita a abordagem e foi encontrada uma pequena porção de maconha. O objeto arremessado (um smartphone) foi encontrado.

Os menores confessaram que tinham roubado o celular. Na DCA, eles foram reconhecidos pela vítima.


(*) Fonte: PMDF

UTILIDADE PÚBLICA


Sobradinho vai ficar sem água nesta quarta (17) para manutenção na rede

Moradores de Sobradinho terão o fornecimento de água interrompido das 7h às 22h desta quarta-feira (17), para manutenção no sistema de abastecimento, segundo a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb). Serão atingidas as quadras 3, 5, 9 e 9 de Sobradinho I e toda Sobradinho II.

A Caesb informa que todas as localidades devem contar com reserva de volume mínimo correspondente ao consumo médio diário. Com isso, os usuários não deverão ser afetados pela interrupção no fornecimento de água.

A companhia lembra que o usuário é responsável pela limpeza e desinfecção da instalação predial de água e do reservatório predial antes da ligação definitiva de água, e posteriormente pela limpeza e desinfecção semestral do reservatório predial.


Fonte: CAESB

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

EM CIRCULAÇÃO....


EXTRA, EXTRA!!!!


Já nas bancas e revistarias de Sobradinho I, II, Grande Colorado, Condomínios Horizontais e órgãos públicos a edição de número 338 referente a Primeira Quinzena de Janeiro de 2018.

Essa é uma cortesia dos apoiadores, patrocinadores e do editor deste veículo de comunicação.

Adquira gratuitamente seu exemplar na banca mais próxima de sua residência!
Adquira gratuitamente seu exemplar na banca mais próxima de sua residência!

MATERIAL ESCOLAR


As aulas estão voltando, e os pais podem economizar


(*) Alana Gandra

A temporada de compra de material escolar já chegou para muitas famílias e, com o período, começam também as dúvidas e preocupações com formas de pagamentos, marcas de produtos e opções de compra para adquirir os produtos escolares.

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) alerta os pais a só adquirirem produtos com o selo de identificação da conformidade do órgão, vinculado ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). O selo do Inmetro comprova que os artigos atendem aos requisitos de segurança previstos no regulamento.

A pesquisadora do Inmetro, Millene Cleto da Fonseca, destacou que a certificação compulsória dos artigos escolares tem por objetivo evitar acidentes que possam colocar em risco a segurança de crianças que utilizam esses produtos, como a presença de substâncias tóxicas em itens que possam ser levados à boca; além de pontas cortantes, ou de partes pequenas, que podem ser ingeridas ou inaladas.

Um total de 25 produtos escolares é contemplado pelo regulamento e passa por avaliação sistemática. Entre eles estão apontador; borracha e ponteira de borracha; caneta esferográfica e hidrográfica; giz de cera; lápis preto, grafite e lápis de cor; lapiseira; marcador de texto; cola líquida ou sólida; corretor adesivo; corretor em tinta; compasso; curva francesa; esquadro; régua; transferidor; estojo; massa de modelar e massa plástica; lancheira; tesoura de ponta redonda; pasta com aba elástica; tinta.

Mercado formal – Millene destacou também a necessidade de os pais fazerem a compra no mercado formal. “Fazer a aquisição na loja e não no camelô e adquirir com nota fiscal porque em caso de dar um problema ou ter algum acidente envolvendo o produto, a nota fiscal favorece acionar seja quem for”.

A pesquisadora do Inmetro disse que os pais devem observar também a faixa etária de indicação do produto, “porque tem produto que é proibido para a faixa de zero a três anos, por exemplo. O símbolo de restrição de faixa etária é coisa importante para ser verificada”, alertou a pesquisadora.

Millene Fonseca informou também que estabelecimentos que vendem produtos sem selo de fiscalização serão multados. “Os comerciantes cujos produtos estiverem sem selo podem ser penalizados com advertência, apreensão do artigo e multa, que varia de R$ 100 a R$ 1,5 milhão, conforme estabelecido na Lei 9.933/99”, lembrou Millene. A fiscalização já está ocorrendo em âmbito nacional. O consumidor que encontrar irregularidades no mercado formal pode fazer sua denúncia à ouvidoria do Inmetro pelo número gratuito 0800 285 1818.

Planejamento – Planejar muito é a primeira recomendação que o professor Ricardo Teixeira, coordenador do MBA em gestão financeira da Fundação Getulio Vargas (FGV), faz aos pais que estão se preparando para enfrentar a maratona de compra de material escolar. Os responsáveis pelas compras devem elaborar uma lista com os itens que vão ser usados imediatamente pelas crianças, “porque esses você não pode deixar de comprar. Esses você compra logo”.

Já aqueles itens que puderem ser adquiridos ao longo do ano, é melhor deixar para mais adiante e pesquisar preços pela internet ou em diversas lojas, “gastando um pouco mais de sola de sapato”, diz Teixeira. Assim, explica o professor, os pais vão ver onde os preços estão mais atraentes. Ele lembra também que, normalmente, quando a pressão do início do ano acaba, os preços tendem a cair.

O professor de gestão financeira da FGV lembra ainda da vantagem de se organizar compras coletivas, com outros pais ou amigos, para, desta forma, tentar negorciar preços diferenciados. “Como a quantidade aumenta muito, você tem condições de conseguir preços mais baratos. Você acaba transformando em atacado o que é varejo, porque está indo comprar em nome de vários pais”.

Outra sugestão para economizar, no caso de livros didáticos, é comprar itens de segunda mão, mas em bom estado, usados no ano anterior. Ele sugere que pais se organizem para tentar comprar para seus filhos, livros usados no ano anterior por alunos que estão uma série à frente. “Pode-se fazer um movimento entre pais nesse sentido”.

Para o pesquisador, é muito melhor vender os livros que estão guardados em casa por um preço abaixo do valor de mercado do que ficar guardando, pois as edições de livros didáticos são constantemente atualizadas e o material guardado pode não mais ser aceito. Teixeira acredita que este tipo de negociação com pais que estejam na mesma escola pode ser proveitoso para ambas as partes, indicou. “É fazer compras mais em conta”.

A prazo ou à vista – Teixeira recomendou ainda que pais que têm dinheiro para pagar o material escolar à vista, devem tentar negociar um desconto. Se não obtiverem desconto vantajoso, os pais podem parcelar. “Colocam o dinheiro na poupança e ele estará rendendo”.

O pesquisador adverte, contudo, que os pais não podem esquecer que aquele dinheiro já está comprometido, para não enfrentar problemas depois. “Se você tem o dinheiro e parcelou, tem que lembrar que o dinheiro já está comprometido. Mas, muitas vezes, você não tem dinheiro e precisa, realmente, comprar parcelado”, disse Teixeira.


(*) Fonte: Alana Gandra - Foto/Arquivo Notibras

BOLETIM DE OCORRÊNCIAS NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO

HOMEM ARMADO, JOVEM COM MANDADO E AS BALAS QUE NÃO DISPARAM

(*) Fabio Evangelista


Policiais militares do Grupo Tático Operacional do 13º Batalhão (Gtop 33) deteve dois suspeitos por porte de arma e maconha. Eles foram abordados na quadra 13 de Sobradinho na noite do dia (13). Um homem e um menor de idade foram vistos correndo assim que a viatura da PMDF entrou na quadra.

Durante a fuga, o homem jogou a arma em um lote vazio. A dupla foi alcançada e abordada, na cintura dos dois foram encontradas porções de maconha. O revólver calibre 38, com seis munições picotadas, foi apreendido.

O homem foi encaminhado para a 13ª DP onde foi autuado por porte ilegal de arma de fogo, corrupção de menores e uso e porte de substância entorpecente. O jovem foi conduzido para a DCA, onde foi constatado que havia um mandado de busca e apreensão contra o adolescente. Ele também foi autuado pelo ato análogo a porte de entorpecente.


PM APREENDE ESPINGARDA CALIBRE 28 EM SOBRADINHO

(*) Gilmar Santos

Em Sobradinho, policiais militares do Grupo Tático Operacional (Gtop 33), do 13º Batalhão, comandados pelo sargento Carneiro, encontraram e detiveram um homem que estava portando uma espingarda calibre 28.

O homem foi encontrado em um matagal próximo ao condomínio Vila Verde, na Rua F, por volta das 21h do dia (11). O rapaz foi levado e autuado na delegacia da área.

SERPENTES SÃO CAPTURADAS NO DF

(*) Wyslan Teles



A PMDF capturou na tarde do dia (11), por volta das 15h, uma cobra coral falsa no Lago Oeste, Rua 1, em uma chácara, em Sobradinho II.

A serpente estava aparentemente saudável e foi reintroduzida em seu habitat natural.

Por volta das 16h20 uma Jobóia foi capturada na Df 130 Sitio Agrovale chácara 23 em Planaltina, sendo reintroduzido ao seu habitat natural por estar aparentemente saudável.

Fonte: PMDF

EDUCAÇÃO / Seguem abertas as inscrições para bolsas de estudo em escolas particulares

Continuam abertas as inscrições para bolsas de estudo em escolas particulares de todo o país com 50% de desconto nas mensalidades. 

Inscrições para bolsas de estudo em escolas particulares seguem abertas

Oportunidades vão do Berçário ao Ensino Médio em todo o país

O início do ano é o momento de fazer as contas e ajustar o orçamento familiar. E dentre os cálculos na ponta do lápis está a dificuldade de manter a educação dos filhos com a alta das mensalidades. Mas, ainda dá tempo de conseguir uma vaga em uma escola particular com um custo acessível.




O aumento nas mensalidades de 2018 oscila entre 4% e 8% a depender do estado e a instituição, de acordo com o Sinep - Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino, fazendo com que os pais e responsáveis repensem sobre manter seus filhos em escolas particulares. Por conta disso, escolas em parceria com programas inclusão educacional, estão oferecendo bolsas de estudo para aqueles que não têm condições de arcar com o valor integral da mensalidade.



Dessa forma, mais de 18 mil instituições de ensino, entre elas creches e escolas particulares, possuem parceria com o maior programa de inclusão educacional do país, o Educa Mais Brasil. “Nesse início de ano, muitos pais estão procurando por uma instituição confiável e de qualidade, mas não tem condições financeiras de matricular seu filho. Por isso, estamos sempre trabalhando para conseguir novas parcerias para expandir cada vez mais o acesso ao nosso bem maior: a educação, explica Andréia Torres, diretora de Expansão e Relacionamento do Educa Mais Brasil.



As inscrições para o ano letivo de 2018 continuam abertas por meio do site do Educa Mais Brasil e as bolsas de estudo são de 50% de desconto. No Distrito Federal estão disponíveis mais de 25.200 mil vagas, entre as oportunidades são para escolas particulares de Sobradinho, com possibilidades de matriculas para Berçário, Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.



Os pais ou responsáveis devem inscrever o candidato no site www.educamaisbrasil.com.br/educacao-basica, selecionar o nível de escolaridade pretendido, escolher uma das instituições com as bolsas de estudo ofertadas e preencher o formulário. A aprovação pode ser consultada pelo Portal do Aluno, no próprio site ou na central de atendimento pelos telefones 4007-2020 para Capitais e Regiões Metropolitanas ou 0800 724 7202 para demais localidades.

(*) Fonte: Vanessa Casaes