Pesquise neste blog

quarta-feira, 18 de abril de 2018

BOLETINS DE OCORRÊNCIAS NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO/PLANALTINA


PMDF REALIZA O RESGATE DE DUAS SERPENTES


(*) Wyslan Teles





Uma serpente foi capturada na tarde do dia (17), por volta das 16h20, em Planaltina.

A PMDF realizou o resgate de uma jararacuçu. O animal estava aparentemente saudável e foi solto em seu habitat natural.

A outra serpente foi capturada no condomínio Solar de Athenas, modulo I, no Grande Colorado, em Sobradinho.

O animal estava aparentemente saudável e também foi solto em seu habitat natural.





APREENSÃO DE 4 ARARAS EM SOBRADINHO



Um homem foi detido na manhã do dia (17), por volta das 9h15, por crime contra a fauna, em Sobradinho.

Após a Polícia Militar receber uma denúncia anônima de suposto crime ambiental, policiais militares deslocaram-se até uma chácara localizada na DF 150, onde constataram que o proprietário guardava confinadas em um viveiro, sem a devida autorização para criação, 4 araras canindés.

Diante da situação, o proprietário foi encaminhado à 13ª DP, para providências cabíveis.

(*) Fonte: Wyslan Teles/PMDF

CURSOS


INSCRIÇÕES ABERTAS PARA CURSOS EM SOBRADINHO

Seguem abertas as inscrições para os cursos do Senac na unidade de Sobradinho. As turmas se iniciam na próxima semana, dia 23. As matrículas devem ser feitas na central de atendimento do local com os seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de residência e de escolaridade, de acordo com a exigência de cada curso. Mais informações: 61 3313-8877.

Qualidade no Atendimento – 20h
Design de Sobrancelhas – 40h
Excel – criando planilhas com dashboard – 20h
Análise em Faturamento Hospitalar – 60h
Recrutamento e Seleção de Pessoas – 40h

Por Fabíola Souza/Fecomércio -  Publicado 17 de Abril de 2018

terça-feira, 17 de abril de 2018

SAÚDE / REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO


Clínica de nefrologia e hemodiálise do Hospital de Sobradinho é entregue totalmente reformada
O investimento foi de R$ 1,5 milhão, e intervenções abrangeram, por exemplo, redes de esgoto e elétrica, piso, forro e pintura


(*) Amanda Martimon e Guilherme Pera

clínica de nefrologia e hemodiálise do Hospital Regional de Sobradinho foi entregue totalmente reformada nesta terça-feira (17). A unidade tem cerca de 650 metros quadrados e recebeu novo mobiliário, além de melhorias na infraestrutura.



O investimento para reformar a clínica de nefrologia e hemodiálise do Hospital Regional de Sobradinho foi de R$ 1,5 milhão. Rollemberg visitou o local nesta manhã. Fotos: Dênio Simões/Agência Brasília

O investimento da reforma somou R$ 1,5 milhão — o recurso é de emenda parlamentar e de verba da Secretaria de Saúde. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, visitou o local nesta manhã.

De acordo com a pasta, a reforma abrangeu redes hidráulica, de esgoto e elétrica, piso, forro e pintura. Durante as obras, a unidade continuou em funcionamento em um espaço adaptado no hospital.

“Muito bom reformar essa unidade para melhorar o atendimento à população e as condições de trabalho para os servidores”, disse.
Cada máquina de hemodiálise, em geral, atende a um paciente por turno, sendo três turnos de atendimento. Atualmente, a clínica conta com 15 em funcionamento.

O secretário de Saúde, Humberto Fonseca, destacou que atuou como médico residente no hospital de Sobradinho. “Reformamos também toda a pediatria porque havia vazamento de água e de esgoto”, completou.

O atendimento é às segundas, quintas e sextas-feiras, das 7 horas à meia-noite. Às terças e quartas-feiras e aos sábados, o funcionamento da clínica é das 7 às 19 horas.

A diretora do Hospital Regional de Sobradinho, Cláudia Gomes dos Reis, afirma que, por mês, em média, 66 pacientes fazem hemodiálise no local.
66Quantidade média de pacientes atendidos por mês

Ela explica ainda que o setor atende pacientes com patologia no aparelho urinário e que há dois procedimentos diferentes: a hemodiálise e a diálise peritoneal.

Na hemodiálise, uma máquina é responsável por limpar e filtrar o sangue, já que o rim está impossibilitado. “Ou seja, é fazer de forma externa a filtração que o rim deveria fazer.”

Já na diálise peritoneal, a intervenção ocorre dentro do corpo do paciente. “O processo é mais simples. Por meio de um cateter, se injeta solução na cavidade abdominal do paciente. Por osmose, essa solução retira as impurezas, e depois é drenada”, resume.

A diretora compara a nova estrutura com a antiga: “Agora são salas no tamanho correto, separadas adequadamente, respeitando as normas da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]. Tudo reformado, é outra estrutura”.

Além disso, há espaço para espera e local separado para as refeições, uma vez que o período que o paciente passa em atendimento é longo.
Projeto de regulamentação de escalas na Saúde no DF

Rollemberg destacou que enviará à Câmara Legislativa projeto que regulamenta escalas de 18 horas e as horas-extra na Saúde.

“O Tribunal de Contas do DF [TCDF] entendeu que não poderia ter jornada de 18 horas, que só poderia haver 2 horas-extras por dia. A colocação em prática dessa medida implicaria no fechamento de leitos e traria imenso prejuízo para a população”, disse Rollemberg.

A matéria explicita essa previsão no texto. “O projeto tenta resolver os problemas e cria plantão hospitalar fixo, pago separadamente da hora-extra”, explicou Humberto Fonseca.

Ambos ainda citaram a situação do Hospital da Criança. Rollemberg classificou a situação como “perseguição ideológica de uma promotora” e Fonseca disse que “todas as medidas para proteger a unidade serão tomadas”.

(*) Amanda Martimon e Guilherme Pera, Edição: Paula Oliveira, Fotos  Dênio Simões/Agência Brasília

COMENTANDO VERSÍCULOS DA BÍBLIA por Nando Ferreira




PALAVRA DE DEUS


"Não terás outros deuses além de mim.
"Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra.
Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam,
mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e guardam os meus mandamentos.
Êxodo 20:3-6

COMENTANDO


 (*) NANDO FERREIRA

Obs: DEUS aqui nos fala da sua unidade, que não a outro além DELE, nem outro caminho além DELE. (A NÃO SER A MORTE ETERNA).

Muitos acham Deus autoritário, mas na realidade Ele tem tanto amor por nós (amor que devia nos constranger por não merecermos) que acabamos por não entender esse amor e muito menos o cuidado que ele tem conosco.

ELE ama a todos nós sem preferências. ELE quer alcançar a todos, temos que fazer nossa parte, sendo dependentes, obedientes e crer que ELE é o Senhor de nossas vidas.

Temos que falar de JESUS independente de religião e mostrar que sem ELE, é morte espiritual na certa.

Tenho vivido uma experiência incrível com JESUS. As vezes me pergunto...será que só eu estou vendo dessa forma?
Todas as profecias de DEUS estão se cumprindo...será que só a profecia que ELE voltará para buscar seu povo é falsa? TENHO CERTEZA QUE ELE VEM SEM DEMORA.

Sirva a DEUS com AMOR!
Reflita nisso!

(*) Nando Ferreira (foto) é empresário, e colabora com o Jornal de Sobradinho – Edição nº 341 referente à 2ª segunda quinzena de Abril de 2018.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

ARTIGO JURÍDICO / COLABORAÇÃO


Isenção de Imposto de Renda ao Portador de Neoplasia Maligna em Atividade

Está lá no Site da Receita Federal informando que as condições para as pessoas portadoras de doenças graves a fim de receber isenção do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) são aquelas, as quais estão, cumulativamente: recebendo proventos de aposentadoria, pensão ou reforma E possuam algumas das doenças descritas na Lei 7.713/88.

O art. 6º, inciso XIV, da Lei n. 7.713/88, com redação dada pela Lei n. 8.541/1992, posteriormente alterado pela Lei nº 11.052/2004, dispõe que o portador de moléstias graves, como a neoplasia maligna, tem direito à isenção do imposto de renda desde que os seus rendimentos sejam relativos à aposentadoria, à pensão ou à reforma. Assim, para alguém diagnosticado com Câncer, na literalidade legal, neoplasia maligna, é necessário que essa renda seja decorrente de aposentadoria, o que exclui da lei os que continuam trabalhando ou que retornam à atividade laborativa.

Ora, não é da melhor aplicação essa lei para os portadores da doença, não é verdade? Aquele que é diagnosticado com Câncer nunca mais deixará de o tê-lo. Esse é um “mal do século”, pois ainda não foi descoberta a cura, tão somente há o tratamento dos sintomas e as tentativas de diminuir ou extinguir o foco do tumor, seja retirando-o, seja com quimioterapia ou radioterapia. Logo, quem tem Câncer sempre estará em tratamento, mesmo que não haja nenhuma manifestação posterior, pois há o risco de a doença voltar a se manifestar. Digo, se manifestar, porque a doença não tem cura.

Com isso, o Superior Tribunal de Justiça (AgRg no REsp 1500970/MG) entende que não precisa haver contemporaneidade da moléstia para concessão da isenção, ou seja, que os sintomas estejam se manifestando, para que o benefício seja mantido ou deferido, uma vez que sua finalidade é diminuir os sacrifícios daquele portador, aliviando-o dos encargos financeiros da doença. Além disso, desnecessário passar por perícia do órgão ou do INSS em razão de que admite-se também o laudo emitido por médico particular (AgRg no REsp 1160742/PE).

Por isso, vem os tribunais, em especial, o Tribunal Regional Federal 1ª Região, adotando o entendimento tão esperado de que a isenção do Imposto de Renda deve englobar também os rendimentos salariais daquele portador da moléstia grave por se tratar de verba de caráter alimentar. 

Ressalta-se que esse entendimento está sendo sedimentado na exposição dos motivos para promulgação e vigência da norma (Lei 7.813/88), pois seu tratamento diferenciado se dá para resguardar o contribuinte que tenha sua capacidade econômica afetada pelas doenças graves.

Sendo assim, também será beneficiado com isenção de imposto de renda aqueles que contraírem a neoplasia maligna e estiverem ainda em atividade, contudo será necessário realizar esse pedido na via judicial por se tratar de uma interpretação da lei, não de aplicação de sua literalidade a qual o agente público se limita.


(*) Dr. Igor Norberto Spindola Campelo (foto). É advogado, pós-graduando em direito tributário, orientador em Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) e advogado atuante, parceiro e colaborador do escritório NCFerraz Advocacia Especializada – Sobradinho/DF.

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM THIAGO CUNHA ADMINISTRADOR REGIONAL DE SOBRADINHO II & FERCAL



Um bom vizinho
Moro aqui e quero fazer o melhor possível por nossa região

Thiago Pereira da Silva Cunha (foto) é o novo administrador de Sobradinho II e Fercal. Assume no lugar do Coronel Charles Magalhães que saiu para se candidatar a Deputado Federal. Nascido no Hospital de Sobradinho, morador da quadra 01 até 1994, Thiago tem 31 anos, é solteiro, e atualmente mora na Avenida Central de Sobradinho II. Filho de Jorge Ferreira da Cunha e Marlene Pereira da Cunha, ele teve uma infância bem parecida com a maioria dos moradores da cidade. Estudou em escolas públicas, CEF 05 e CEF 03 – e desde cedo começou a trabalhar.

Foi vendedor de picolé na Sorveteria Adams, na Q. 01, passou por empacotador no Supermercado Dias – Q. 01. Chegou a representante comercial e depois ingressou no serviço público. Em 2009 trabalhou na Secretaria de Ciência e Tecnologia do GDF; em 2011 foi Gerente de Feiras na Administração de Sobradinho II; depois disso trabalhou na Câmara Legislativa como assessor do deputado distrital Dr.Michel; em 2015, retornou à Administração de Sobradinho II como chefe de gabinete. E por último trabalhou como assessor parlamentar no gabinete do deputado Ricardo Vale.  Torcedor do Sobradinho Esporte Clube e do São Paulo, Thiago se descreve como um trabalhador. “Sempre trabalhei bastante. Comecei cedo e nunca desisti de buscar melhores espaços onde pudesse crescer cada vez mais e ajudar o próximo. ” 
 
Na administração, Thiago pretende tocar os projetos e obras do Governador Rollemberg com toda seriedade, responsabilidade e o respeito que a população merece. Tudo isso com o respaldo da comunidade, a quem pretende ouvir e dedicar a sua atenção em busca de soluções e melhorias.

JS - Qual a sua memória afetiva da cidade?

Thiago – Como morador da Q. 01 de Sobradinho, tinha apenas 3 anos quando Sobradinho II nasceu. Mas em 1994 vim morar aqui com a minha família. São 24 anos de convívio com essa cidade, que vi crescer e melhorar.  E claro que fiz daqui minha morada e a cidade do meu coração.


Naquela época não tínhamos nem asfalto. Mas hoje vejo Sobradinho II como uma cidade em crescimento e forte desenvolvimento. Como morador e líder comunitário conheço a realidade e os problemas que a comunidade enfrenta.

JS - Na sua opinião qual os principais problemas de Sobradinho II? Há algum que poderia ter a devida solução em sua gestão?

Thiago - Como toda cidade do País, Sobradinho II também enfrenta problemas nas áreas de segurança, transporte, saúde. Em todas as áreas vou buscar junto aos órgãos competentes soluções, ações que possam melhorar o panorama atual. Acredito também nos projetos do Governo que vem trabalhando incansavelmente para melhorar a qualidade de vida dos brasilienses.

No trabalho direto executado pela Administração, como a manutenção da cidade, quero trabalhar em conjunto com os moradores. Vejo as questões de entulho, limpeza em geral, buracos nas vias, falta de melhor aproveitamento dos espaços públicos, como problemas que podemos melhorar muito.

Faremos campanhas educativas, no sentido de melhorar a comunicação e conscientização de todos. Tudo isso, porque acredito que sem a participação da comunidade é impossível administrar. Buscarei trabalhar afinado com os órgãos do GDF e Área Federal, solicitando o maior desempenho possível para a resolução dos problemas.

JS - No seu planejamento e do GDF, quais ações deverão ter prioridade nesse ano de 2018 em Sobradinho II e Fercal?

Thiago - Existem várias obras e ações já em andamento. Em Sobradinho II e Fercal temos a reforma do Ginásio de Esportes, no valor de R$296.246,00; reforma de dez quadras poliesportivas, no valor de R$527.220,36; pavimentação da travessia do Buritizinho para o Versales, no valor de R$149.701,32; obras de pavimentação e drenagem de águas pluviais no Setor Habitacional Buritis (Buritizinho); Praça Café Planalto; via de Ligação entre o Alto do Bela Vista e Expansão do Alto do Bela Vista.

JS- Recentemente houve a inauguração oficial pelo governador Rodrigo Rollemberg do Campo Sintético do Caveirão, ainda tem algo a ser feito neste campo?

Thiago- A questão de drenagem da água do campo foi resolvida antes da
inauguração. Ainda faremos, com emenda parlamentar do Deputado Ricardo Vale, as arquibancadas, vestiário, banheiro público, estacionamento ao lado direto do campo. Essas obras estão apenas aguardando a finalização dos projetos.

JS - Uma das maiores demandas comunitárias é o pedido de mais médicos e insumos para a UPA de Sobradinho II e benfeitorias para o Buritizinho, o que você tem a dizer sobre isso?

Thiago- Essa situação já é de conhecimento do GDF. O Governo de Brasília vem trabalhando para sanar as questões de saúde. Independente disso, vou solicitar urgência em relação à UPA de Sobradinho II. O Setor Habitacional Buritis, o Buritizinho está recebendo toda a atenção do Governo.

Os quase 8 mil moradores do Buritizinho serão beneficiados com um dos principais conjuntos de obras de infraestrutura do governo de Brasília. As intervenções ocupam uma área de 90 hectares (cerca de 83 campos de futebol). Elas incluem duas lagoas de retenção, 8 quilômetros (km) de redes para captação de águas pluviais, 51,5 km de calçadas, 22 km de meios-fios e 11 km de ruas, em fase final de pavimentação.
Poderão contar com as seguintes benfeitorias: 8 quilômetros de redes de captação de águas pluviais, 51,5 quilômetros de calçadas, 22 quilômetros de meios-fios e 11 quilômetros de ruas pavimentadas em asfalto ou bloquetes. Também serão construídos dois conjuntos de lagoas de contenção das águas de drenagem.
Além das melhorias para os moradores, foram criados aproximadamente 150 empregos diretos e 300 indiretos.
O investimento é de cerca de R$ 30,44 milhões, menor do que o inicialmente orçado (R$ 37 milhões). Os recursos são provenientes da Caixa Econômica Federal, via Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC Pavimentação e Qualificação de Vias), com contrapartida do governo de Brasília.
JS - A preservação do Ribeirão de Sobradinho é uma realidade, como a Administração poderá contribuir a curto prazo?
Thiago- Recentemente foram implantadas as Condemas – Comissão de
Desenvolvimento do Meio Ambiente de Sobradinho II e da Fercal.
Pretendo trabalhar em conjunto com essas comissões para viabilizar os projetos. Como é de conhecimento de muitos, a Caesb está fazendo a ampliação da Estação de Tratamento de Esgotos da cidade, que vai tratar todo o esgoto coletado, reduzindo assim a entrada de esgotos no ribeirão.

JS - Quais ações para o Setor de Mansões?

Thiago- O Setor de Mansões, assim como toda a cidade, terá toda a atenção da administração. Inicialmente faremos a operação tapa buracos que é a principal solicitação dos moradores. Também já está sendo providenciada a regularização dos lotes.

JS - Regularização dos Condomínios Horizontais da região Norte do DF o que tem de novo?

Thiago- O trabalho do Governador Rollemberg tem se destacado muito nessa área. Na nossa região temos 11 condomínios regularizados até o momento, dentro das diretrizes urbanísticas. E vários outros em processo de regularização no Setor de Mansões, Grande Colorado, Região do Lagos. Nosso papel é o de articular junto à Secretaria de Habitação e intermediar para que os moradores possam realmente realizar o sonho de ter sua escritura.

JS - Como será sua parceria com Valter Soares? Haverá ações conjuntas?

Thiago- Com toda a certeza. Vamos trabalhar juntos, faremos parceria. Somos cidades irmãs, ligadas pela localização geográfica e pelos laços familiares que unem todos os moradores. O Valtinho tá fazendo um excelente trabalho em Sobradinho e vamos atuar juntos para melhorar, ainda mais, a qualidade de vida dos moradores.

JS - A AMPEC II está objetivando uma nova área em Sobradinho II para atender aos empresários da cidade. O que a Administração de Sobradinho II poderá fazer a curto prazo para somar nessa demanda?

Thiago- Ainda preciso de um tempinho para tomar pé da situação. Mas farei tudo o que estiver ao meu alcance para ajudar. Entendo essa necessidade de expansão econômica da cidade e o quanto pode afetar o desenvolvimento para melhor, com geração de emprego e renda. Farei uma reunião em breve com todos e vou atrás para cobrar as providências. Nesse sentido, posso contar também com os parlamentares, principalmente o Deputado Ricardo Vale, que tem uma atenção especial por Sobradinho II. Sei que já foi solicitado à Terracap a doação do terreno para a Casa Civil. A cidade precisa ter sua Área de Desenvolvimento Econômico – ADE, e vou intensificar esse pedido para a criação de tão importante projeto para os cidadãos da cidade e toda a região.

JS - O que você gostaria de dizer aos moradores de Sobradinho II e Fercal?

Thiago- A todos os moradores e moradoras de Sobradinho II e Fercal quero dizer que aqui vocês têm não só um administrador, mas acima de tudo um bom vizinho. Vizinho daqueles que você pode bater na porta e pedir. Moro aqui e quero fazer o melhor possível por nossa região.  Vou trabalhar diretamente com a comunidade e estarei sempre à disposição para encontrarmos juntos as melhores soluções para a nossa cidade.


Aproveito para deixar o telefone do gabinete 3453-9396 e da Ouvidoria 3453-9316.

Quero também agradecer ao Jornal de Sobradinho, tão importante veículo de comunicação, pelo espaço a mim concedido e desejar muito êxito e felicidades.

Agradeço a Deus por tudo, pois sem Ele eu nada seria e nada faria.

Agradeço ao Governador Rodrigo Rollemberg pela confiança a mim
depositada e espero poder atender a altura que  a população merece.


(*) Fonte: Equipe JS - Jornal de Sobradinho - Exclusivo para Edição nº 341 referente a Segunda Quinzena de Abril de 2018 - Apoio Jornalista Cidha Magalhães.

domingo, 15 de abril de 2018

BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO


PMDF PRENDE HOMEM POR RECEPTAÇÃO DE VEÍCULO EM SOBRADINHO


(*)  Jued Lima


Um homem foi preso por receptação, neste domingo (15), por volta das 2h, em Sobradinho.
Uma equipe do GTOP 33 do 13º Batalhão recebeu informações sobre uma festa no Setor de Mansões de Sobradinho.
Próximo ao local da festa o condutor de um VW/Gol em atitude suspeita chamou a atenção dos policiais militares.
Submetido a abordagem foi constatado a placa do veículo não era a legítima e o carro era produto de roubo.
O detido foi encaminhado à DP para autuação.
Responsáveis pela ocorrência: sargentos Carneiro, Salvo, Anderson Campos, Torres Viana, Hélio Sevilha, Ambrósio Lima, soldados Deivid Lima e Jaqueline Passos.
Apoio: equipes da viaturas 2357, 2703 e 2871.
Fonte: PMDF

sábado, 14 de abril de 2018

ARTE & CULTURA - Espetáculo




 Brasilia Brinquedo de Ler.


Já imaginou juntar teatro, contação de histórias e design em uma abordagem que une Brasília e a primeira infância a partir do olhar poético presente no brincar? Esta é a proposta do projeto Brasília Brinquedo de Ler, que ocupa o gramado do Panteão da Pátria (Centro Cultural 3 Poderes) em todos os sábados de 28 de abril a 2 de junho, em duas sessões, sempre às 15 e às 17 horas, com entrada franca.

“O entendimento é só um brinquedo da imaginação”, é o que diz a personagem Leleta em Brasília Brinquedo de Ler. Com este ponto de partida, o espetáculo aborda Brasília através do olhar imaginativo do brincar. Dois personagens experimentam as infinitas possibilidades dos seus brinquedos de papel e compartilham entre si e com o público os seus sonhos, repletos de humor e encantamento, sobre a cidade onde vivem.

A narrativa desta dramaturgia trata da relação destes personagens metaforicamente inspirados em Lúcio Costa e sua esposa Julieta Guimarães, que eram grandes companheiros. O projeto de Brasília, frequentemente comparado a um avião, foi na verdade inspirado em uma borboleta: homenagem de Lúcio Costa à sua esposa, a quem o urbanista chamava carinhosamente de Leleta. Ao refletir sobre esta relação pessoal que se estendeu ao espaço, a diretora Ana Flávia Garcia provocou o multiartista Gabriel Guirá a pensar na fusão entre dramaturgia e design, considerando as perspectivas poéticas da criação de Brasília e suas estéticas urbanísticas e arquitetônicas.

Brasília Brinquedo de Ler é um dos primeiros projetos contemplados na modalidade Ocupação de Espaços Públicos do FAC – Fundo de Apoio à Cultura do DF, como comenta Ana Flávia Garcia: “O FAC apresentou em 2016 essa inovação em seu edital, promovendo ações de Ocupação Artística em diversos pontos da cidade. Acredito com bastante convicção que esta é uma demanda representativa da expressão artística contemporânea, oportunizando tanto a experimentação das obras em espaços públicos, quanto a atualização dos desejos do público em frequentar estes espaços a partir desse intercâmbio de linguagens.”

E sobre essa relação entre o espaço público e a arte, o projeto, que é voltado para crianças de 3 a 6 anos, considera também a relação entre a infância e a noção de território, como completa Gabriel Guirá: “Enquanto artista e pesquisador da infância, me provoca o fato de que nos centros urbanos, onde temos imagens tão prontas e massivas, a capacidade anímica das crianças muitas vezes nos parece distante. Porém, se admitimos que essa é uma capacidade inata e que a criança possui o seu lugar enquanto cidadã, compreendemos que a cidade é também território de criança, que ela é capaz de dialogar com os espaços e de identificar os provocadores de sua ludicidade. O vazio, o ócio e o nada por exemplo, tornam-se telas brancas para que as mesmas tracem com autonomia os seus projetos de brincar.”

Brasília Brinquedo de Ler se apresenta como uma ação de fruição integrada dividida em dois momentos: primeiro a apresentação do espetáculo e em seguida a interação, no qual ocorrerá a livre experimentação das crianças com os brinquedos criados por Gabriel Guirá. Esses brinquedos são originados de ilustrações e dobraduras cujo design remete à estética de Brasília e se tornam instrumentos de uma narrativa autoral em um diálogo poético entre o real e o imaginário da criação da cidade. “Esse é um projeto em que a identidade territorial, a poética infantil e o brincar livre surgem como os verdadeiros três poderes. Um espetáculo que chamo de imaginopoético, no qual convidamos o público a projetar, construir e ocupar livremente uma cidade inteira no território dos sonhos.” destaca Gabriel Guirá, reafirmando que as crianças têm autonomia para criar suas próprias narrativas a partir da leitura visual múltipla que esses objetos oferecem. “Estará assegurado neste trabalho, o espaço da subjetividade e da poesia para facilitar a livre narrativa desse público tão deliciosamente poroso à experimentação estética.”, conclui Ana Flávia Garcia.



Serviço: Brasília Brinquedo de Ler

Data: De 28 de abril e 2 de junho (sábados), com duas sessões às 15 e 17 horas

Local: Gramado do Panteão da Pátria (Centro Cultural 3 Poderes – Praça dos Três Poderes)

Ingressos gratuitos

O público é ilimitado, em quantidade e idade, mas para a interação com os brinquedos cada sessão comporta no máximo 15 crianças (3 a 6 anos), mediante agendamento prévio (Por e-mail: brinquedodeler@gmail.com ou pelo WhatsApp: (61) 99997-5969)

Informações: (61) 99997-5969

brinquedodeler@gmail.com

sexta-feira, 13 de abril de 2018

CRÔNICA


Peregrinos Perdidos

Dizem que o peregrino andou por caminhos longos. Eu acredito que ele vagou em seus pensamentos. As ideias que se misturam com as dúvidas. As dúvidas que buscam respostas e as respostas que surgem mesmo depois de dias.

O abismo entre o pensamento, a vida e o tempo é o mesmo percurso entre a realidade e o mundo não realista.

Talvez sejamos todos Peregrinos, mas perdidos em nossos egos. Como se Eu apenas Eu fosse o mundo ideal! 


(*) Clarisse Da Costa (foto) é artesã e cronista
Contato: clarissedacosta81@gmail.com

ECONOMIA



CHEQUE INFERIOR A R$ 300 PASSA A SER COMPENSADO EM UM DIA A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA

A partir da próxima segunda-feira (16) os cheques de valores inferiores a R$ 300 serão compensados em um dia útil, e não mais em dois dias, segundo anunciou nesta quinta-feira (12) a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Com isso, o prazo para a compensação dos cheques fica unificado em um dia útil, permitindo que os valores ingressem na conta de favorecidos mais rapidamente. Atualmente, apenas os cheques com valor superior a R$ 299,99 são compensados em um dia útil. As mudanças foram determinadas por circular do Banco Central de novembro de 2017.

GOVERNO PROPÕE SALÁRIO MÍNIMO DE R$ 1.002 PARA PRÓXIMO ANO


O governo propôs um salário mínimo de R$ 1.002 para 2019. O valor consta do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do ano que vem, anunciado dia (12). Atualmente, o mínimo é de R$ 954. Será a primeira vez que o salário mínimo, que serve de referência para cerca de 45 milhões de pessoas, ficará acima da marca de R$ 1 mil. A proposta será encaminhada agora ao Congresso. Entretanto, o governo ainda pode mudar o valor caso haja alteração na previsão para a inflação deste ano, que compõe a fórmula para o cálculo do reajuste mínimo do ano que vem. O reajuste começa a valer em janeiro de 2019, com pagamento a partir de fevereiro.

Fonte: Daniel Alcântara / Fecomércio

quinta-feira, 12 de abril de 2018

HABITAÇÃO/ MEIO AMBIENTE



Código de Obras e Edificações do DF é aprovado na Câmara Legislativa

Matéria disciplina os licenciamentos de construções no Distrito Federal e substituirá a legislação vigente desde 1998. Texto segue para sanção do governador
 (*) Amanda Martimon e Guilherme Pera
Com 16 votos favoráveis, a Câmara Legislativa aprovou o Código de Obras e Edificações do Distrito Federal na sessão desta quarta-feira (11) — dos 24 deputados distritais, oito estavam ausentes. A matéria segue agora para sanção do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, que poderá vetar itens.
O texto aprovado é um substitutivo dos parlamentares, com mudanças na redação enviada pelo governo de Brasília. Pelo menos 50 emendas foram apresentadas, nas comissões e no plenário.
Apesar das alterações, o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, afirmou que a espinha dorsal do projeto original está mantida. “O código está integro, as emendas não atrapalham a essência e os princípios dele”, disse.
A matéria segue agora para sanção do governador Rodrigo Rollemberg, que poderá vetar itens do texto
Na nova redação, os distritais incluíram condições especiais para templos religiosos, escolas que prestem assistência social e entidades sem fins lucrativos. A proposta prevê redução de 50% do valor da multa de fiscalização e maior prazo para sanar irregularidades.
Outro ponto alterado pelos deputados é a possibilidade de recurso para ocupantes de áreas não passíveis de regularização.
Código de Obras e Edificações do DF é baseado em cinco princípios
Após começar a valer como lei, o texto disciplinará os licenciamentos de construções em todo o DF e vai substituir o código atual, vigente desde 1998. Cinco princípios norteiam os mais de 160 artigos do projeto de lei:
  • Desburocratização
  • Responsabilidade técnica dos autores dos projetos sobre questões de edificações
  • O Estado analisa somente os parâmetros urbanísticos de acessibilidade universal
  • O Código de Obras e Edificações é um instrumento de política urbana
  • Remissão e recepção das normas técnicas brasileiras
Segundo Thiago de Andrade, o novo texto acaba com um emaranhado normativo. “Ao recepcionar o normativo nacional e se basear em pilares claros, o código atualiza uma legislação antiga e dá fim a conflitos com outras normas e decretos.”
"O código atualiza uma legislação antiga e dá fim a conflitos com outras normas e decretos"
Thiago de Andrade, secretário de Gestão do Território e Habitação
Ainda segundo o titular da pasta, como instrumento de política urbana, a norma serve para controle do espaço urbano, além de “dar concretude aos projetos da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos) e do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCub)”.
Mudança na legislação vai desburocratizar obras
Com a nova legislação, o responsável será o autor do projeto, que responderá por possíveis falhas. A equipe do governo ficará apenas com a função de conferir os parâmetros urbanísticos, como altura máxima e taxa de permeabilidade.
Os responsáveis técnicos — engenheiros e arquitetos, por exemplo — devem registrar toda a documentação em seu respectivo conselho regional e podem responder técnica, civil e penalmente por erros na execução do projeto.
“Os parâmetros intrínsecos à edificação ficam por conta do autor. Isso já ocorre em projetos de estrutura e agora vai valer também para os de arquitetura”, explicou o secretário-adjunto de Gestão do Território e Habitação, Luiz Otávio Alves Rodrigues.
Outro aspecto importante na questão da celeridade é a inclusão de uma nova etapa: a de viabilidade legal. Nela, o interessado entrega um memorial descritivo com tudo o que deve ser feito no lote.
A Central de Aprovação de Projetos, da Secretaria de Gestão do Território e Habitação, vai informar previamente o que pode ou não ser feito segundo a lei. Hoje, pela confusão normativa e a ausência dessa etapa, o empreendimento pode voltar à estaca zero a qualquer momento.
60 dias Prazo estimado para o governo de Brasília editar decreto regulamentador de pontos do código como normas técnicas de obras, prazos e parâmetros
O governo vai editar, ainda, decreto que regulamenta diversos pontos do código, como procedimentos, prazos e parâmetros. O documento listará, por exemplo, as regras editadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) que a legislação recepcionará.
“O código consolida toda uma modificação nas leis que visam à desburocratização no DF, como a do Polo Gerador de Viagens (PGV), a da permeabilidade do solo e a da compensação urbanística. E o decreto traz os detalhes”, informou o secretário-adjunto.
A pasta estima um período de 60 dias para a assinatura do decreto, contados a partir da publicação do texto da lei no Diário Oficial do DF.
Histórico da formulação do Código de Obras e Edificações do DF
A necessidade de reformular o código começou a ser debatida em 2015 na comissão permanente de monitoramento do código, composta por órgãos do governo e representantes da sociedade, que será formalmente criada na publicação da lei.
Após ampliar o diálogo com universidades, setor produtivo e segmentos interessados, em cerca de 90 reuniões, o colegiado consolidou a primeira minuta do projeto, apresentada aos distritais pela primeira vez em março de 2017 e protocolada na Câmara em junho do mesmo ano.
No parlamento, houve aproximadamente 30 encontros de representantes da comissão e do corpo técnico do Legislativo local.
“O novo código reduz fortemente a possibilidade de cada executor do serviço público ter uma interpretação diferente, isso dá celeridade aos processos”, opinou Luiz Carlos Botelho, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF (Sinduscon-DF), presente em diversos encontros.
Além do Sinduscon, participaram do processo entidades como a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do DF (Ademi-DF), o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do DF (CAU-DF) e o Conselho Regional de Agronomia e Engenharia do DF (Crea-DF).
(*) Amanda Martimon e Guilherme Pera, Edição: Vannildo Mendes- Agência Brasília