Pesquise neste blog

Secretaria de Estado da Casa Civil - DF

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

EDUCAÇÃO: CEF 08 de Sobradinho conquistou sua quarta medalha de ouro consecutiva


Escolas da rede pública brilham na Olimpíada Brasileira de Robótica



CEF 05 do Paranoá saiu da competição com o prêmio de melhor instituição estreante, enquanto o CEF 08 de Sobradinho conquistou sua quarta medalha de ouro consecutiva

O Centro Integrado de Educação Física (CIEF) recebeu no último sábado (27) mais uma etapa regional da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR). Foi a décima vez que o evento nacional desembarcou no Distrito Federal. Este é o primeiro ano, porém, que a competição é realizada pela Secretaria de Educação (SEEDF). E para coroar essa nova fase da disputa, as escolas da rede pública alcançaram grandes resultados: pelo quarto ano consecutivo, o Centro de Ensino Fundamental (CEF) 08 de Sobradinho conquistou uma medalha de ouro. Já o Centro de Ensino Fundamental (CEF) 05 do Paranoá levou o prêmio de melhor escola estreante.

“Foi muito gratificante ver os nossos estudantes conquistando um bom desempenho. Para as outras escolas, isso também é um estímulo muito grande. Eles veem que nós somos capazes de desenvolver um ensino de qualidade voltado para a robótica”, avalia a gerente de Programas e Projetos Especiais do Ensino Fundamental da SEDF, Marília Teixeira.

Participando pela primeira vez da Olimpíada, o professor Adriano Carvalho – responsável pelo ensino de robótica no CEF 05 do Paranoá – afirma que a experiência foi boa para que os estudantes pudessem conhecer as iniciativas desenvolvidas em outras escolas. “Eles só conheciam o nosso projeto. No evento, eles tiveram contato com o pessoal do CEF 08 de Sobradinho, por exemplo, que nos deu várias dicas, nos passou alguns contatos e nos convidou a ir lá. Essa troca de informações foi muito boa”, celebra o docente.

Adriano ressalta ainda a importância pedagógica e social do ensino de robótica nas escolas públicas. “A parte social é que a gente tira o aluno da rua [as aulas são oferecidas no turno contrário] e dá a eles a possibilidade de ter acesso a novas tecnologias, porque só a tecnologia da escola já não é suficiente para criar um diferencial no mercado de trabalho”, afirma.

“Em relação ao pedagógico, quando temos a oportunidade de trabalhar com qualquer tipo de tecnologia é melhor. Eles construíram o robô e eu não tive que mandá-los fazer nenhum cálculo ou nada do tipo. Eles tinham o objetivo a cumprir e estavam muito motivados para atingir a meta. Então, eles mesmos foram aplicando os conceitos ensinados durante o ano”, finaliza o professor, garantindo que pretende levar seus alunos de volta à Olimpíada em 2017.

Foto: SUBEB/SEEDF

É tetra

Se o CEF 05 do Paranoá fez sua estreia no sábado, o CEF 08 de Sobradinho chegou ao evento já com o status de favorito. Afinal, desde 2013, a unidade ganhou ao menos uma medalha de ouro em todas as edições da Olimpíada. Nos três últimos anos, os alunos da instituição sagraram-se campeões no nível 1 da competição – dedicada a estudantes do Ensino Fundamental. Faltava, no entanto, um título no nível 2 – para o Ensino Médio. Neste ano, ele, enfim, veio. “No Fundamental existe uma certa dificuldade, mas, no Médio, o grau de dificuldade é muito maior e os nossos alunos sempre batiam na trave por poucos pontos”, lembra o professor Alexandre Zeitune.

O docente assumiu a sala de recursos para atendimento de alunos com altas habilidades – onde as aulas de robótica são ministradas – em 2010. Na avaliação dele, além da participação em competições, o ensino de robótica também contribui para o melhor desempenho dos estudantes nas demais disciplinas. “A robótica ajuda a desenvolver várias partes da ciência. Ela se integra à multidisciplinaridade. É uma forma prática de ensinar matemática, química, física, biologia e várias outras matérias”, opina.

O sucesso do trabalho desenvolvido na escola pode ser explicado, entre outros fatores, pela união e pelo engajamento dos estudantes que participam do projeto. “Um é exemplo do outro. Então, se alguém consegue se sair bem, acaba servindo de incentivo para os que ainda não conseguiram”, conta Lorrane Tintino. Já João Vitor – conhecido pelos colegas como “Amarok” – lembra que  a equipe trabalhou até no recesso escolar para concluir o robô que disputaria a Olimpíada. Todo o processo levou cerca de três meses.

Com a vitória na etapa regional, os alunos credenciaram-se para participar da disputa nacional, que, neste ano, será realizada em Recife. “Nossa expectativa está alta e nós estamos confiantes no nosso robô, porque a programação está muito boa. Eu acredito que a gente pode, sim, conseguir o ouro”, projeta Wesley de Sousa da Costa. Reforçando o espírito de união do grupo, João Willie – que já conquistou uma medalha ao lado de Wesley em 2013 – não era parte da equipe que levou o ouro neste ano. Mesmo assim, faz questão de registrar sua torcida pelos companheiros na etapa nacional. “Eu fiquei muito feliz, porque é a nossa escola em primeiro lugar. E isso é o mais importante de tudo”, comemora.

Legado

Ao todo, 25 instituições de ensino participaram da etapa regional da OBR. Destas apenas duas eram da rede pública. Contudo, a gerente de Programas e Projetos Especiais do Ensino Fundamental da SEDF, Marília Teixeira, acredita que o bom desempenho dessas duas unidades possa contribuir para que mais escolas públicas se interessem pela disputa. “Neste ano a gente queria plantar uma sementinha e estimular as escolas para no ano que vem ampliar esse quantitativo”, diz. Para conseguir despertar esse interesse, a Secretaria de Educação vai doar as dez arenas de competição utilizadas na OBR para escolas públicas que desenvolvem projetos de robótica. “Agora eles terão as arenas para treinar e no ano que vem, esses colégios já vão se sentir mais seguros para participar da próxima edição”, crê a gerente.

Edição: Patrick Selvatti, Ascom/SEEDF

Foto destaque: Tiago Oliveira, Ascom/SEEDF
Foto interna: SUBEB/SEEDF

MEIO AMBIENTE

 
Dia Nacional do Cerrado será celebrado com cinco dias de atividades ambientais e culturais em todo DF
 

Com mais de 300 atividades em 28 regiões diferentes, evento pretende dar visibilidade às ações que sensibilizam para o tema Mudanças Climáticas.
 

Entre os dias 7 e 11 de setembro o Distrito Federal será palco da segunda edição da Virada do Cerrado. A atividade é uma iniciativa da Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Distrito Federal - SEMA, do Comitê Criativo da Virada do Cerrado e do Fundo Único de Meio Ambiente– FUNAM. Mais de trinta organizações não governamentais, universidades, secretarias do Governo de Brasília, além do Sebrae-DF e do Ministério do Meio Ambiente fazem parte do comitê de organização do evento. Além deste, foram criados os comitês criativos nas regionais administrativas do DF para organizar atividades locais.
 
A Virada do Cerrado é um grande programa colaborativo de mobilização e educação ambiental que promove atividades socioambientais, educativas, esportivas e culturais, integrando o poder público com organizações da sociedade civil e do setor privado em um movimento pelo equilíbrio ambiental do Distrito Federal. 
 
Este ano a Virada traz como tema principal as mudanças climáticas, principal desafio da humanidade na atualidade. Também conhecida como aquecimento global, a mudança climática se dá pelo aumento de temperatura média global, causando desde chuva inesperada a ondas de calor extremas. O processo de aquecimento está acontecendo muito mais rápido do que antes, e este rápido aquecimento é causado pelo aumento dos níveis de emissões criadas pelo homem.
 
Para sensibilizar os visitantes de maneira lúdica e educativa para estas questões, serão realizadas ações ligadas aos quatro elementos da natureza: Terra, Água, Fogo e Ar – promovendo a reflexão sobre o reflorestamento, preservação dos rios e nascentes, práticas de contenção do fogo, mobilidade urbana e poluição do ar.  Na prática, estamos falando de Tendas Temáticas dos quatro elementos que estarão compondo a programação do dia 11 de setembro, no Parque da Cidade. Um dos destaques da programação é a Feira de Troca de Sementes e Mística Indígena dos Povos Fulni-ô (Santuário dos Pajés) que acontecerá na Tenda Terra às 9h, assim como a mesa de Diálogos sobre Mudanças Climáticas, que acontecerá na Tenda Ar, às 15h, tendo como participantes o Secretário de Meio Ambiente do DF André Lima, a ex ministra do Meio Ambiente Marina Silva, a empreendedora social e coordenadora do Engajamundo Raquel Rosenberg e Adriana Ramos, do Instituto Socioambiental.

 

Além da programação no Parque da Cidade, a programação da Virada deste ano incluem mais de 300 atividades em varias regiões do DF, como rodas de conversa, shows, oficinas, palestras, mutirões nos parques, feiras agroecológicas, caminhadas, corridas, bicicletadas, contação de histórias, circuito de ciências, cine ambiental, teatro, passeios ecológicos, entre outros. Vinte e oito regiões estão confirmadas na edição deste ano, inclusive em Padre Bernardo, Goiás. Águas Claras, Brazlândia, Candangolândia, Ceilândia, Cruzeiro, Estrutural, Fercal, Gama, Guará, Itapoã, Jardim Botânico, Lago Norte, Lago Sul, Paranoá, Park Way, Parque da Cidade, Planaltina, Plano Piloto, Riacho Fundo I e II, São Sebastião, Samambaia, Santa Maria, SIA, Sobradinho, Sudoeste, Taguatinga e Varjão são os locais que tem atividades programadas.

 
A abertura da Virada do Cerrado será no dia 7 de setembro, às 9h no Parque das Garças - Lago Norte. A programação do dia envolverá atividades esportivas, de qualidade de vida e atrações culturais. Circuito de Natação Ecológica, Aula de Yoga, shows, oficina de degustação de sucos detox e atividades infantis são algumas das atrações que o público pode participar. Também no dia 7, das 9h às 12h o Mercado Sul de Taguatinga estará recebendo o Mutirão no Beco. Os interessados participarão de uma oficina de compostagem e hortas agroflorestais. Neste mesmo dia a Pedra Fundamental de Brasília comemora 94 anos desde que foi instalada, em Planaltina. Para comemorar este marco, a partir das 8h30 será realizada aCaminhada Ecomuseu Pedra Fundamental: travessia literário-musical, com poesia e sensibilização pelo cerrado. A concentração será na Praça do Museu.
 
No dia 8 de setembro, das 11h às 14h o público de Sobradinho poderá degustar pratos inspirados no Cerrado: é o Chef nos Restaurantes Comunitários. Aqui chefes de cozinha renomados estarão ensinando as equipes dos restaurantes comunitários a preparar o prato do dia inspirado em sabores do Cerrado. Os pratos preparados serão servidos à comunidade a preços acessíveis.
 
Abrigando 30% da biodiversidade brasileira, o Cerrado guarda nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul: São Francisco, Araguaia-Tocantins e Prata, por isso é conhecido como o “Berço da Águas”. Para questionar o modelo atual de exploração deste bioma e dar visibilidade às ações que promovem a preservação do Cerrado, o Centro de Excelência do Cerrado – Cerratenses realizará no dia 9 de setembro reunião especial do Fórum Aliança Cerrado. Nesta reunião serão assinados o decreto de criação do Programa Piloto Recupera Cerrado DF e o decreto de criação do Comitê Distrital da Reserva da Biosfera do Cerrado no DF.  O Cerratenses fica no Jardim Botânico de Brasília, e a atividade será realizada das 14h30 às 18h.

Programação Cultural

No dia 11 de setembro as atividades serão concentradas no Parque da Cidade. Feira de Produtos do Cerrado e Tecnologias Sustentáveis, Exposições, Oficinas, Food Bikes e Truck Foods são atividades que acontecerão das 9h às 18h. A partir das 16h a Virada do Cerrado receberá grandes atrações culturais da cidade. Um dos principais pioneiros na recente expansão do uso da viola no Brasil, Roberto Correa volta aos palcos da cidade para apresentar sua versatilidade artística. Além do violeiro os grupos Mestre Zé do Pife e as Juvelinas, Maria Sabina & a Pêia, Pé de Cerrado, as bandas Beat Movement, Trio Madrake e a cantora Emília Monteiro se apresentam no palco da Virada. Os shows acontecem até as 22h, encerrado a programação da Virada 2016.
 
Para acessar toda a programação da Virada do Cerrado e saber mais: http://tonavirada.org/programacao
 
Facebook: https://www.facebook.com/tonavirada
 
teaser Virada do Cerrado: https://www.youtube.com/watch?v=Stb1j2pl6mI
 
  
SERVIÇO

Virada do Cerrado 2016

Quando?  7 a 11 de setembro de 2016

Onde?  7 a 10 de setembro em *28 regiões do DF | 11 de setembro no Estacionamento 10 do Parque da Cidade

Quanto?  Entrada franca
* Águas Claras, Brazlândia, Candangolândia, Ceilândia, Cruzeiro, Estrutural, Fercal, Gama, Guará, Itapoã, Jardim Botânico, Lago Norte, Lago Sul, Paranoá, Park Way, Planaltina, Plano Piloto, Riacho Fundo I e II, Samabaia, Santa Maria, São Sebastião, SIA, Sobradinho, Sudoeste, Taguatinga, Varjão e Padre Bernardo - GO 


Terracap propõe novas técnicas para a recuperação de áreas degradadas

 
Empresa integra o Aliança Cerrado, fórum permanente que reúne órgãos do governo de Brasília e entidades da sociedade civil. O grupo discute alternativas para preservar a vegetação do DF
 
O Fórum Aliança Cerrado se divide em diversos grupos de trabalho que debate legislação, comunicação, educação ambiental, métodos e pesquisas, informações, financiamento e sociobiodiversidade. E por ter um grande percentual do passivo florestal do Distrito Federal, a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) se empenha para financiar e recuperar grandes áreas degradas, como forma de compensação pelos empreendimentos imobiliários desenvolvidos pela Agência.  
 
Dentre as ações realizadas pela Terracap, destacam-se a produção de 150 mil mudas no Jardim Botânico para compensação florestal, o plantio de 500 mil mudas destinadas à recuperação da Floresta Nacional e o convênio com a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap), para produzir mudas utilizando a mão de obra dos internos.  
 
A Terracap também promoveu o plantio de mais de 400 mil mudas na RFFSA, em parceria com o Exército e aCompanhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). O projeto aproveita o lodo resultante do tratamento de esgoto feito pela Caesb para produzir adubo e transformar uma região estéril e uma área propícia para florescimento de mudas.  
 
A empresa também doou 5 mil mudas para as administrações regionais e, atualmente, realiza a recuperação do Parque Vivencial do Varjão, com o plantio de 40 mil mudas.  
 
Além da produção e do plantio de mudas, a Terracap tem atuado ativamente no grupo de trabalho que revisa o Decreto nº 23.585/2003, que trata dos critérios de compensação florestal. Nesse contexto, trabalha, em conjunto com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), responsável por gerir a Câmara de Compensação Ambiental e Florestal do DF, na proposição de uma nova Instrução Normativa que permita a utilização de novas técnicas de recuperação de áreas degradadas.  
 
Entre as alternativas propostas estão a utilização de camada superficial de solo proveniente de limpeza de terrenos para a implantação de empreendimentos, além da semeadura direta de espécies arbóreas, arbustivas e gramíneas.
 
Para saber mais, siga nosso Facebook (www.facebook.com/terracap360),
 
 
 
Fonte:  William Martins

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Segundo OMS, 90% dos casos de suicídio poderiam ser evitados

 

A cada 40 segundos, uma pessoa comete suicídio no mundo, totalizando mais de 800 mil mortes por ano. Os dados são da Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo o relatório, o Brasil é o oitavo país com mais casos:  cerca de 12 mil pessoas se matam, anualmente. No DF, uma das unidades da federação com índice mais baixo de suicídio, segundo a OMS, uma média de 130 pessoas tiram a própria vida por ano.
 
"Mas a gente acredita que esses dados são subestimados, pois tem muitos casos que não são notificados como suicídio", alerta a psicóloga Beatriz Montenegro, responsável pela política distrital de prevenção ao suicídio no DF.
 
Dados da Secretaria de Saúde apontam que no ano passado, a região do DF com maior taxa de suicídios foi Brazlândia, com 17%, seguido de Águas Claras (10%) e Riacho Fundo I (9,8%). Em todo o Distrito Federal, a taxa de mortalidade é de 4,5%.
 
Ainda de acordo com o relatório, em 2015, os homens foram os que mais cometeram suicídio (70,76%). A maior taxa foi entre jovens de 20 a 29 anos (21,5%), solteiros (66,9%) e com grau de instrução alto (31,5%).
 
SAÚDE PÚBLICA - O suicídio é considerado um problema de saúde pública pela OMS desde 2006. Ainda segundo a organização, é a segunda maior causa de mortes entre pessoas de 15 a 29 anos de idade. Porém, 90% dos casos podem ser evitados.
 
Dados da OMS indicam que o suicídio geralmente aparece associado a doenças mentais – sendo que a mais comum, atualmente, é a depressão, responsável por 30% dos casos relatados em todo o mundo. Estima-se que uma em cada quatro pessoas sofrerá de depressão ao longo da vida. O alcoolismo responde por 18% dos casos de suicídio, a esquizofrenia por 14% e os transtornos de personalidade por 13%. Os casos restantes são relacionados a outros diagnósticos psiquiátricos.
 
Há seis anos, A.I. perdeu a mãe, que pulou do segundo andar do prédio. Ela sofria de depressão e já havia, inclusive, indicação de internação de um psiquiatra devido ao comportamento suicida. " Ela tomava remédio e dizia que não estava fazendo efeito. Com isso, tomava um atrás do outro. E isso já nos preocupava", relata. A situação de alerta fez a família se revezar como acompanhante, mas a mãe de A. acabou aproveitando a ida de um dos netos ao banheiro e se jogou. "Por isso, faço o alerta: toda atenção a quem sofre de transtornos mentais ainda é pouco. Por isso é tão importante a prevenção", diz A.I
 
Os comportamentos suicidas ocorrem como resposta a uma situação que a pessoa vê como devastadora cuja única solução aparente é a morte. Segundo a psicóloga Beatriz Montenegro, a tentativa de suicídio é um pedido de ajuda que nunca deve ser ignorado.
 
Leia mais sobre o assunto:
 
 
(*) Secretaria de Estado de Saúde

AÇÕES NA REGIÃO NORTE DO DF - PLANALTINA


PROJETO REFRESQUE IDEIAS – GELADEIRA DO LIVRO

Edição Planaltina

     A geladeira do Livro é um projeto de autogestão, sociocultural e fomentador do conhecimento de forma simples e direta. Trazendo para qualquer indivíduo de forma gratuita o processo de se educar, de conhecer, de aprender e de se divertir. Buscando sempre, o desenvolvimento social da comunidade onde a geladeira é instalada.

     O projeto Refresque Ideias, arrecada geladeiras e livros, e a cada instalação promove uma ação cultural com artes visuais, música e poesia. Se dentro da geladeira há o conhecimento, por fora existe a arte, em desenhos feitos por grafiteiros e artistas da própria comunidade, onde a geladeira do livro será instalada, agregando valor cultural e social ao projeto. E ainda, transformando o espaço público de forma interativa e lúdica.

     A ideia principal do projeto é a reutilização de geladeiras velhas, transformando-as em bibliotecas comunitárias gratuitas. As geladeiras do livro funcionam como uma biblioteca comum, porém não há necessidade de registros. As regras são simples: a pessoa pode doar livros ou pegar para ler e devolver quando quiser.

     O impacto causado pela geladeira nas praças onde é instalada é instantâneo, as pessoas começam a ver, a olhar e a interagir. O projeto por si só, incentiva à utilização das praças públicas, ao criar um local em que a comunidade pode interagir e promover a convivência literária. Afinal, o hábito da leitura está sendo abandonado aos poucos, e o fato de haver em uma praça pública, uma geladeira que funciona como uma biblioteca e de forma gratuita, é um incentivo à leitura e à acessibilidade de conhecimento.

     Contemplado pelo Fundo de Apoio à Cultura – FAC, Secretaria de Cultura e Governo do Distrito Federal, em 2016, a geladeira do livro será instalada em seis cidades satélites do DF: Ceilândia, Samambaia, Planaltina, Paranoá, São Sebastião, Guará e Areal. A escolha das cidades foi feita com o intuito de descentralizar e agregar ações culturais e educacionais, em regiões menos favorecidas de Brasília.

     Para a edição de Planaltina, da Geladeira do livro, o projeto Refresque Ideias, em parceria com os coletivos: Casa de Cultura Carlos Marighella e Comunidade Mestre. Traz para esta edição, os musicistas: N. C. S., Chico Nogueira, César, Joub, Nego Thales, Júnior Vidal e Sob Suspeita. Os poetas: Rego Júnior, Pedro Batista, Raquel Ely e Cêés AR. Os grupos de dança: Transição, Sensação Paraense e Catira. Os grafiteiros: Julimar dos Santos, Juliana Borgê e Raph Odrus. E ainda a feira de trocas Bazar das Meninas.

Serviço:

Data: 03/09/2016 
Horário: 14h às 20h

Local: Praça Módulo 8 Mestre D’Armas.

Planaltina - DF
Entrada: Gratuita

 
Contato:

E-mail:
geladeiradolivro@gmail.com

Facebook:
https://www.facebook.com/refresqueideias

Instagran:
https://www.instagram.com/geladeiradolivro/

 
(*) Por Luciana Ribeiro

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

BOLETIM DE OCORRÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO

CARRO FURTADO EM SOBRADINHO APARECE NO ITAPOÃ COM MENORES DE IDADE

(*) Fábio Evangelista/PMDF
 
Quatro menores de idade foram apreendidos pelos policiais militares do 20º Batalhão com um carro furtado, por volta das 21h deste domingo (28). O veículo foi recuperado 30 minutos depois do furto em Sobradinho.
O carro com os suspeitos foi visto na quadra 203 do Del Lago II no Itapoã. Os policiais ordenaram a parada do veículo e realizaram a abordagem. O quarteto foi conduzido para a DCA, acusado de ter furtado o veículo.
Um deles possuía um mandado de busca e apreensão em aberto pelo ato infracional análogo a roubo. Os outros também tinham passagens pelos atos infracionais análogos a furto, roubo e receptação.
Participaram da ocorrência os cabos Celso Afonso e Cristiano Veloso e o soldado Peretti.

ARTIGO : ESCRAVOS DA APARÊNCIAS



(*) Henrique Matthiesen


 Contemporaneamente a sociedade dita moderna impõe de forma imperiosa alguns padrões de existência que deformam irreversivelmente as personalidades inermes de uma parte da coletividade.
Nossa “liberdade” é privada de sua autenticidade pela força da vontade de uma nova ordem, definida como única aceitável. Incontestemente as redes sociais, espaço muitas vezes de embuste, revelam a escravidão das aparências.
A autenticidade, que é um valor ético, revela uma pessoa verdadeira, que transporta em si a possibilidade de não ser desviante, ou refratária de modismos, é aquilo que coincide com ele mesmo em suas raízes, aquele que prega o que vive.
Uma expressão em latim, que muitos a conceituam óbvia, “Nemo dat quod non habet”, que expressa que “ninguém dá o que não tem” é mais densa do que sua simples interpretação literal.
A densidade reflete paradoxalmente, uma pessoa desprovida de lisura, que não fecunda o conceito de decência, que não tem hombridade como convicção interna irrenunciável.
As aparências como existência escravagista são a convivência das máscaras da representação ininterrupta de um personagem, e expressam a face mais densa da frustação da aceitação de si mesmo.
Na era da velocidade, em alguns casos, por mera pressa, temos formações frenéticas, reflexões abreviadas que trazem consequentemente um nível de superficialidade muito grande.
Essa futilidade obriga algumas pessoas à existência aparente, isso com sua própria imagem em relação aquilo que ostenta, que remete a consumolatria do exibicionismo, de viver e demostrar aquilo que não se é.
A existência simulacra, daquilo que é mera imagem e superficialidade, mera representação, nos leva a reflexão do filósofo do século V, Agostinho, que preferiu: “Não sacia a fome quem lambe pão pintado”, ou seja, para se matar a fome não basta lamber a figura de um pão, é preciso ir até ele.
Perigosa e caluniosa a existência escravagista da aparência, podemos ter a pérfida percepção de que é mais prática e óbvia a coexistência supérflua, porém, mais prática e óbvia, não obrigatoriamente é o apropriado.
Mancken (1880-1956) jornalista Americano, “idealista é quem, notando que uma rosa cheira melhor do que um repolho, conclui que ela é também mais nutritiva”.
Paradoxalmente algumas coisas que exalam não só perfume, mas uma sensação de conforto, não obrigatoriamente representam o melhor que a gente consegue e precisa.
Afinal, viver de aparência pode significar uma afronta irremediável e completa do bom uso da essência.
Não coexistir de forma medíocre é optar pela veracidade consigo mesmo e não de forma ilusionista da própria existência.
Um desafio para as gerações vindouras.
 (*) Fonte: Henrique Matthiesen (foto) É Advogado , Escritor e Colabora com o Jornal de Sobradinho  

sábado, 27 de agosto de 2016

BOLETIM DE OCORRÊNCIAS DA REGIÃO NORTE DO DF - SOBRADINHO


JOVEM DE 19 ANOS É ENCONTRADO MORTO, EM CERRADO PRÓXIMO A CHÁCARA BURITIZINHO, EM SOBRADINHO II.
 

(*) Claudio Martins

 
Por volta das 9h20 de sábado, 27/08, policiais militares de Sobradinho, localizaram o corpo de Ytalo Vinícius Paiva da Silva, 19 anos. O corpo foi localizado após denúncias no telefone 190, da Polícia Militar, de que havia um corpo, no cerrado próximo a quadra 04, conjunto J do Condomínio Chácara Buritizinho, em Sobradinho II.

 
Policiais militares chegaram ao local, após a denúncia, e localizou o corpo de Ítalo, morador da QR 03 do Buritizinho, em Sobradinho II. De acordo com policiais civis que realizaram a perícia no corpo de Ytato, ele foi alvejado por dois disparos de arma de fogo, possivelmente de calibre .40.

 
Policiais civis da Seção de Investigação de Crimes Violentos, estão investigando o homicídio e a hipótese é de "acerto de contas".
 

JOVEM, COM PASSAGEM POR HOMICÍDIO, É PRESO POR TRÁFICO NA AR 14 DE SOBRADINHO II.
 

Por volta das 17h20 de sexta-feira, 26/08, policiais militares do Grupo Tático Operacional de Sobradinho prenderam Erick Moreira Leite, 20 anos, pelo crime de tráfico de drogas. Com ele foi apreendido maconha, cocaína, duas balanças de precisão e uma munição calibre .40.

 
A equipe do GTOP-33 Alfa, composta pelo sargento Eneas, cabo Queiroz e soldado Neris, realizava patrulhamento na AR 14, quando deparou com seis jovens no conjunto 06, em atitude suspeita. Um dos indivíduos, que estava com uma sacola nas mãos, ao perceber a viatura policial, correu para o interior de uma residência.

 
Com apoio dos prefixos Bravo e Charlie do GTOP-33, os policiais adentraram na residência e lá prenderam Erick Moreira, com maconha, cocaína, balanças de precisão, além de uma munição calibre .40.
 

Erick, que havia saído da prisão a pouco tempo, pelo crime de homicídio, foi conduzido à 13ª Delegacia e Polícia e autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.
 

“EM SOBRADINHO, TRAFICANTES NÃO SE CRIAM”. GTOP-33 APREENDE COCAÍNA PURA, QUE RENDERIA CERCA DE R$30.000,00, NA REVENDA.
 

Por volta das 21h de quinta-feira, 25/08, policiais militares do Grupo Tático Operacional de Sobradinho prenderam um indivíduo em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. Em sua posse os policiais apreenderam mais de 500 gramas de cocaína, escama de peixe, que renderiam aproximadamente R$30.000,00, após a droga ser misturada e revendida a usuários de drogas da localidade. Os policiais também apreenderam maconha e dinheiro com o indivíduo.

 
A equipe Bravo do GTOP-33, composta pelos sargentos Carneiro, Salvo, cabos Ibernon e Péricles realiza patrulhamento na DF 440, próximo à Nova Colina, quando abordou um indivíduo em que se encontrava em atitude suspeita. Com o suspeito foram apreendidas 50 gramas de maconha.

 
O indivíduo revelou aos policiais que havia mais drogas em sua residência, e durante buscas no imóvel, os policiais apreenderam 200 gramas de maconha, dinheiro e uma barra, com mais de 500 gramas de cocaína escama de peixe.

 
O indivíduo disse aos policiais que teria comprado a droga a fim de mistura-la e revende-la a usuários de drogas. Se tivesse conseguido fazer a revenda da droga, após a mistura, ganharia cerca de 30 mil reais. Ele foi conduzido à 13ª Delegacia de Polícia e autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

 
(*) Fonte: Claudio Martins/Blog Informativo Flagrante

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Virada do Cerrado 2016



A Virada do Cerrado é um programa de mobilização e educação ambiental com atividades ambientais, educativas, esportivas e culturais. Integra o poder público com organizações da sociedade civil e do setor privado em um movimento pelo equilíbrio ambiental do Distrito Federal.

 
É um programa executado ao longo do ano com culminância no Dia do Cerrado, 11 de setembro. Sua principal característica é unir entretenimento, mobilização social e responsabilidade ambiental e social, chamando atenção para a valorização do Cerrado, da água, para as mudanças climáticas, qualidade de vida, tratamento de resíduos sólidos, mobilidade da população urbana e consumo consciente.

 
Vinte e cinco regiões estão confirmadas na edição deste ano, inclusive em Padre Bernardo, Goiás. Águas Claras, Brazlândia, Candangolândia, Ceilândia, Cruzeiro, Estrutural, Fercal, Gama, Guará, Itapoã, Jardim Botânico, Lago Norte, Paranoá, Park Way, Parque da Cidade, Planaltina, Plano Piloto, Riacho Fundo I, São Sebastião, SIA, Sobradinho, Sudoeste, Taguatinga e Varjão são os locais que já tem atividades programadas.
 

Programação

A abertura da Virada acontecerá no Parque das Garças, no Lago Norte, no dia 7 de setembro com a Feira de Tecnologia Sustentável e Voluntária, além de atividades culturais. Outros exemplos de atividades são a reutilização e reciclagem de materiais, em Águas Claras; caminhada ecológica, em Sobradinho; passeio ciclístico, no Gama; oficinas de educação ambiental, caminhada e mutirão de limpeza, na Fercal; inauguração de viveiro, no Park Way; revitalização de horta, em São Sebastião; oficinas sobre mudança climática e biodiversidade, na Estrutural; e bate-papo sobre agroecologia, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA).
 

Em Taguatinga, haverá um mutirão de plantio em hortas verticais. Será realizada feira de trocas no Varjão Sustentável – Reciclagem e Resíduos Sólidos. O Jardim Botânico de Brasília sediará o seminário “Água, Florestas e Cerrado”, exposições, sarau e feira de sustentabilidade.

 
Dia 7 é a abertura. Em 8 e 9 de setembro, as ações terão caráter educativo e formativo, com foco nas escolas e universidades. Em 10 e 11, ocorrerão atividades culturais, esportivas e lúdicas para todas as idades. No último dia, a agenda ficará concentrada no Estacionamento 10 do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, no Plano Piloto.
 

Confira a programação completa no site da Virada do Cerrado

Visite o Facebook da Virada

Virada do Cerrado na Mídia: Virada do Cerrado terá oficina de moda sustentável
 

Mais informações:

E-mail: comunicacaosema@gmail.com

Telefone: (61) 3214 - 5611